ONU alerta para risco de uma escalada de tensão entre Kosovo e Sérvia

A chefe da missão da ONU no Kosovo (UNMIK), Caroline Ziadeh, expressou hoje a sua “profunda preocupação” com uma potencial escalada de tensões entre o Kosovo e a Sérvia.

ONU alerta para risco de uma escalada de tensão entre Kosovo e Sérvia

ONU alerta para risco de uma escalada de tensão entre Kosovo e Sérvia

A chefe da missão da ONU no Kosovo (UNMIK), Caroline Ziadeh, expressou hoje a sua “profunda preocupação” com uma potencial escalada de tensões entre o Kosovo e a Sérvia.

Numa declaração, Ziadeh apelou às partes envolvidas para que atuem responsavelmente a fim de evitar que possa haver “consequências não intencionais”, e que voltem ao diálogo para tentar normalizar as relações bilaterais.

As tensões têm aumentado entre os dois países, principalmente devido à exigência do Kosovo de que os sérvios kosovares sejam obrigados a utilizar placas de matrícula oficiais, em vez de placas de matrícula sérvias.

Os sérvios do Kosovo recusam-se a cumprir a ordem imposta pelo governo kosovar para alterar as matrículas.

Na quinta-feira, Pristina demitiu o diretor sérvio da polícia na parte norte do país, onde se concentra a minoria sérvia, por se ter oposto à ordem das matrículas.

Este movimento causou grande descontentamento entre os sérvios do Kosovo e Belgrado, que acusam o governo do ultranacionalista Albin Kurti de violar, em várias medidas, os acordos alcançados até agora no processo de diálogo patrocinado pela União Europeia (UE).

No dia 02 do mês passado, as forças armadas da Sérvia elevaram o seu nível de alerta face às tensões e após relatos da presença de ‘drones’ (aeronaves não-tripuladas) na fronteira com o Kosovo, alegadamente a espiarem instalações militares sérvias.

A fim de evitar as tensões sobre as placas das matrículas, os EUA e a UE pediram a Pristina que prorrogasse por dez meses o prazo para a sua alteração, o que Kurti rejeita.

A chefe da missão da ONU no Kosovo pede na mensagem hoje divulgada “calma e contenção, e apela às partes para que protejam as conquistas até à data”.

“Não há alternativa ao diálogo para ultrapassar desacordos e evitar mal-entendidos que possam aumentar ainda mais as tensões”, acrescentou Ziadeh.

Kosovo, uma antiga província sérvia cuja população é maioritariamente muçulmana, declarou-se independente em 2008, mas a Sérvia não reconhece a sua soberania.

 

PRZ/PDF // PDF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS