OIM diz que mais de metade dos afegãos dependem da ajuda humanitária

Mais de um ano após a tomada do poder pelos talibãs no Afeganistão, estima-se que 24,4 milhões de pessoas — 59% da população — dependem de ajuda internacional e ajuda de emergência, disse hoje a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

OIM diz que mais de metade dos afegãos dependem da ajuda humanitária

OIM diz que mais de metade dos afegãos dependem da ajuda humanitária

Mais de um ano após a tomada do poder pelos talibãs no Afeganistão, estima-se que 24,4 milhões de pessoas — 59% da população — dependem de ajuda internacional e ajuda de emergência, disse hoje a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Num comunicado, a OIM declarou que desde agosto de 2021 quase todos os afegãos mergulharam na pobreza e o país enfrenta o risco de um colapso sistémico.

Essa catástrofe humanitária é em grande parte impulsionada pelo aumento dos preços dos alimentos, subnutrição grave, oportunidades limitadas de subsistência, bem como deslocamento motivado por conflitos e necessidades complexas de proteção, incluindo acomodação de emergência, encaminhamentos e reunificação familiar.

As pessoas que vivem em todas as 34 províncias do Afeganistão precisam urgentemente de ajuda de emergência. A prestação de serviços básicos foi severamente impactada e os programas de desenvolvimento foram suspensos.

Choques económicos e ambientais contínuos levaram a quedas significativas no rendimento, redução dos fluxos de remessas e aumento dos preços de alimentos.

Nos últimos 12 meses, a OIM ajudou mais de 1,3 milhão de afegãos por meio da distribuição de alimentos, abrigo temporário, acesso a proteção, água, higiene, serviços de saúde e outros itens essenciais.

Segundo a organização, as atividades de abrigos foram drasticamente expandidas, atingindo quase um em cada dois afegãos necessitados, enquanto a saúde cresceu de quatro províncias antes de agosto de 2021 para 13 em agosto de 2022, apoiando mais de 411.000 indivíduos com serviços que salvam vidas.

Um ano após o início da crise, o Plano de Ação Abrangente 2021-2024 da OIM é financiado em apenas 34%, com a maior parte do financiamento concentrando-se nas necessidades humanitárias mais fundamentais.

“À luz da deterioração das condições de vida devido ao aumento do custo de vida, o impacto da guerra na Ucrânia nos preços dos alimentos e combustíveis, um grande aumento no desemprego e as mudanças climáticas induzem choques e desastres, a OIM busca financiamento adicional para programas de recuperação dentro do Afeganistão.

O progresso feito em apoio ao povo afegão deve ser ampliado nos próximos meses e antes do próximo inverno, de acordo com a OIM.

CSR // MSP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS