Óbito/Sampaio: CTP diz que antigo Presidente “foi um grande exemplo para todos”

A CTP — Confederação do Turismo de Portugal considera que Portugal perdeu hoje, com a morte do antigo Presidente da República Jorge Sampaio, “um homem de elevados valores”, um “grande exemplo para todos”.

Óbito/Sampaio: CTP diz que antigo Presidente

Óbito/Sampaio: CTP diz que antigo Presidente “foi um grande exemplo para todos”

A CTP — Confederação do Turismo de Portugal considera que Portugal perdeu hoje, com a morte do antigo Presidente da República Jorge Sampaio, “um homem de elevados valores”, um “grande exemplo para todos”.

“É com enorme pesar que a CTP — Confederação do Turismo de Portugal recebeu a notícia do falecimento do Dr. Jorge Sampaio. Portugal perdeu hoje um homem de elevados valores. Um estadista humano e defensor de causas”, afirmam numa nota enviada à Lusa.

A confederação acrescenta que o antigo Chefe de Estado “foi um grande exemplo para todos”.

“Dedicado servidor público, pautou a sua vida pela ética e pelo compromisso com os valores da liberdade e da democracia, sempre com elevado sentido de Estado, como assim se fez notabilizar no exercício do mais alto cargo da nação”, sublinha a CTP.

Para a confederação do turismo, Jorge Sampaio deixa “a sua marca como homem político e estadista, mantendo sempre o seu lado emotivo e afetivo”.

A CTP considera que o facto de Jorge Sampaio ter estado nos últimos tempos na presidência da Plataforma Global para os Estudantes Sírios, por si fundada em 2013 com o objetivo de ajudar jovens sírios que ficaram sem acesso à educação, “demonstra bem o seu lado solidário e humano”.

A CTP apresenta à família e amigos “as mais profundas condolências”.

O antigo Presidente da República Jorge Sampaio morreu hoje aos 81 anos, no hospital de Santa Cruz, em Lisboa.

Antes do 25 de Abril de 1974, foi um dos protagonistas da crise académica do princípio dos anos 60, que gerou um longo e generalizado movimento de contestação estudantil ao Estado Novo, tendo, como advogado, defendido presos políticos durante a ditadura.

Jorge Sampaio foi secretário-geral do PS (1989-1992), presidente da Câmara Municipal de Lisboa (1990-1995) e Presidente da República (entre 1996 e 2006).

Em 2006 foi nomeado, pelo secretário-geral da Organização das Nações Unidas, enviado especial para a Luta contra a Tuberculose e, entre 2007 e 2013, foi alto representante da ONU para a Aliança das Civilizações.

MSF // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS