O partido nunca teve causas fraturantes, mas sim causas unificantes — Francisco Louçã

O ex-líder bloquista Francisco Louçã rejeitou hoje “a ideia irritante” de que o BE é defensor de “causas fraturantes” e contrapôs que “só teve causas unificantes”, garantindo que o partido nunca foi cúmplice “com o gangsterismo financeiro”.

O partido nunca teve causas fraturantes, mas sim causas unificantes -- Francisco Louçã

O partido nunca teve causas fraturantes, mas sim causas unificantes — Francisco Louçã

O ex-líder bloquista Francisco Louçã rejeitou hoje “a ideia irritante” de que o BE é defensor de “causas fraturantes” e contrapôs que “só teve causas unificantes”, garantindo que o partido nunca foi cúmplice “com o gangsterismo financeiro”.

O BE comemora hoje os 20 anos do partido, assinalados em 28 de fevereiro, com um comício em Lisboa que junta os fundadores Francisco Louçã, Luís Fazenda e Fernando Rosas, a coordenadora Catarina Martins e a eurodeputada Marisa Matias.

“Se me permitem um ‘marcelismo’ em assembleia tão seleta, o BE nunca teve causas fraturantes, ideia, essa sim, irritante. O BE só teve causas unificantes e mobilizantes”, defendeu Louçã.

Para o antigo líder do BE não há causas mais unificantes do que “a defesa dos direitos das mulheres contra o assédio, contra a violência, incluindo dos tribunais”, a dos jovens precários, a defesa dos idosos contra os despejos ou a luta “contra o racismo ou do direito de se amar quem se quer”.

“O BE disputou tudo, sempre com a mesma coerência. Recusou a armadilha do euro, nunca aceitou os tratados de mal a pior, rejeitou as aventuras financeiras e pode ter orgulho de dizer agora ao nosso país que estas mãos nunca mergulharam na cumplicidade com o gangsterismo financeiro”, enalteceu.

JF // VC

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS