Nyusi diz Moçambique entra numa nova era com investimentos no gás natural

Filipe Nyusi disse que o país vai entrar em nova era de desenvolvimento económico com investimentos no gás natural, destacando criação de emprego e receitas para o Estado.

Nyusi diz Moçambique entra numa nova era com investimentos no gás natural

Nyusi diz Moçambique entra numa nova era com investimentos no gás natural

Filipe Nyusi disse que o país vai entrar em nova era de desenvolvimento económico com investimentos no gás natural, destacando criação de emprego e receitas para o Estado.

Maputo, 31 jul 2019 (Lusa) – O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, disse hoje que o país vai entrar numa nova era de desenvolvimento económico com os investimentos no setor de gás natural, destacando a criação de emprego, receitas para o Estado e industrialização do país.

Filipe Nyusi congratulou-se com as perspetivas que se abrem para a economia moçambicana com os investimentos no gás natural, quando falava sobre o estado da Nação, na Assembleia da República.

“O desenvolvimento de projetos de produção de gás natural liquefeito na bacia do Rovuma, província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, vai implicar investimentos de 53 mil milhões de dólares [47,5 mil milhões de euros] nos próximos anos”, assinalou Nyusi.

Mais de 40 mil postos de trabalho direto serão criados pelas empresas envolvidas na produção de gás natural liquefeito e este recurso vai igualmente abastecer o mercado moçambicano, além de ser exportado.

Como prova de que os empreendimentos de gás natural na Bacia do Rovuma são irreversíveis, o consórcio liderado pela norte-americana Anadarko anunciou em junho a decisão final de investimento no valor de 23 milhões de dólares (20,6 milhões de euros), para a Área 1.

No dia 05 de agosto será lançada a primeira pedra das infraestruturas de produção de gás natural liquefeito do referido consórcio, em Afungi, Cabo Delgado.

O empreendimento terá capacidade para produzir 12 milhões de toneladas de gás natural liquefeito por ano.

Por outro lado, o consórcio liderado pela ENI e Exxon Mobil está a finalizar a construção de uma plataforma flutuante com capacidade para produzir 3,37 milhões de toneladas de gás natural liquefeito.

PMA // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS