Novo período de chuvas em Moçambique provocou a morte de 22 pessoas

Vinte duas pessoas morreram e outras 16.057 foram afetadas durante as primeiras semanas do período chuvoso 2020/2021 que começou neste mês em Moçambique, disse hoje o porta-voz do Governo.

Novo período de chuvas em Moçambique provocou a morte de 22 pessoas

Novo período de chuvas em Moçambique provocou a morte de 22 pessoas

Vinte duas pessoas morreram e outras 16.057 foram afetadas durante as primeiras semanas do período chuvoso 2020/2021 que começou neste mês em Moçambique, disse hoje o porta-voz do Governo.

Do número total de vítimas, 13 morreram após serem arrastadas pela água da chuva, oito perderam a vida na sequência do desabamento de paredes e um por descarga atmosférica, segundo Fleimão Suazi, porta-voz do Conselho de Ministros.

Aquele responsável falava à comunicação social após a 38.ª sessão ordinária do Conselho de Ministros na Presidência, em Maputo.

Segundo o porta-voz do Governo moçambicano, as províncias de Niassa, Nampula, Zambézia , Tete, Manica e cidade de Maputo foram as mais afetadas, havendo , pelo menos, 922 casas totalmente destruídas e outras 1.704 parcialmente devastadas.

“Pelo menos 91 salas de aulas foram destruídas e três unidades de saúde foram afetadas, além de 14 casas de culto”, acrescentou.

Entre os meses de outubro e abril, Moçambique é ciclicamente atingido por ventos ciclónicos oriundos do Índico e por cheias com origem nas bacias hidrográficas da África Austral, além de secas que afetam quase sempre alguns pontos do sul do país.

O período chuvoso de 2018/2019 foi dos mais severos de que há memória em Moçambique: 714 pessoas morreram, incluindo 648 vítimas de dois ciclones (Idai e Kenneth) que se abateram sobre Moçambique.

EYAC // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS