Neonazi alemão confessa ter matado autarca Walter Lübcke em 2019

Um neonazi alemão confessou hoje em tribunal ter matado o autarca Walter Lübcke em 2019, homicídio que chocou o país e fez ressurgir o debate sobre a violência de extrema-direita na Alemanha.

Neonazi alemão confessa ter matado autarca Walter Lübcke em 2019

Neonazi alemão confessa ter matado autarca Walter Lübcke em 2019

Um neonazi alemão confessou hoje em tribunal ter matado o autarca Walter Lübcke em 2019, homicídio que chocou o país e fez ressurgir o debate sobre a violência de extrema-direita na Alemanha.

Um neonazi alemão confessou hoje em tribunal ter matado o autarca Walter Lübcke em 2019, homicídio que chocou o país e fez ressurgir o debate sobre a violência de extrema-direita na Alemanha.

“Eu disparei” sobre Walter Lübcke, admitiu Stephan Ernst, de 46 anos, segundo uma declaração lida pela defesa.

Ernst é acusado de ter abatido o autarca com um tiro na cabeça.

Na noite de 01 de junho de 2019, Walter Lübcke, autarca da União Democrata-Cristã (CDU), o partido da chanceler Angela Merkel, foi assassinado com um tiro na cabeça disparado a curta distância quando fumava um cigarro na varanda da sua casa em Kassel, no estado federado de Hesse (centro).

Ao fim de duas semanas de investigação, a polícia deteve Stephan Ernst, com ligações ao movimento neonazi e cadastro por crimes contra migrantes.

A polícia encontrou em casa do suspeito uma arma branca que Ernst usou em janeiro de 2016 para esfaquear um requerente de asilo iraquiano, que sofreu lesões na coluna vertebral, e várias armas ilegais, incluindo três revólveres, duas pistolas, duas espingardas, uma pistola-metralhadora e 1.400 munições.

Ernst começou por admitir o crime, para depois se retratar e acusar um presumível cúmplice, também levado a julgamento.

O Ministério Público alemão acusou-o de homicídio agravado, tentativa de homicídio agravada, lesões corporais graves e posse de armas de fogo ilegais, crimes pelos quais pode ser condenado a prisão perpétua.

O homicídio de Walter Lübcke reavivou a ameaça de terrorismo de extrema-direita na Alemanha, que muitos consideram ter sido subestimada pelas autoridades nos anos 2000, apesar dos homicídios de oito imigrantes turcos e um grego e de uma polícia alemã por um pequeno grupo neonazi.

 

 

LEIA MAIS Governo dos Açores violou Constituição ao impor quarentena obrigatória, diz Tribunal Constitucional

Impala Instagram


RELACIONADOS