Navalny: Supremo tribunal da Rússia dissolve partido do opositor

O Supremo tribunal da Rússia dissolveu hoje o partido político A Rússia do Futuro, fundado pelo líder da oposição Alexei Navalny, hospitalizado na Alemanha após ser envenenado com o agente neurotóxico Novichok, de acordo com laboratórios europeus.

Navalny: Supremo tribunal da Rússia dissolve partido do opositor

Navalny: Supremo tribunal da Rússia dissolve partido do opositor

O Supremo tribunal da Rússia dissolveu hoje o partido político A Rússia do Futuro, fundado pelo líder da oposição Alexei Navalny, hospitalizado na Alemanha após ser envenenado com o agente neurotóxico Novichok, de acordo com laboratórios europeus.

O Supremo pronunciou-se a favor de uma petição nesse sentido apresentada pelo ministério da Justiça, informou o Tribunal aos media locais.

O argumento para o veredicto assenta no facto de A Rússia do Futuro ser o nome de outra formação política dirigida por Alexander Zorin, um advogado próximo do Kremlin e que solicitou o registo após Navalny.

Navalny tentou por diversas vezes registar partidos políticos, mas o ministério da Justiça rejeitou todos pedidos por questões formais e outros motivos, que o opositor considera fabricados.

Desde que garantiu quase um terço dos votos nas eleições para o município de Moscovo em 2013 que Navalny denuncia uma campanha oficial para impedi-lo de prosseguir a atividade política.

Devido a antecedentes penais, a Comissão eleitoral impediu-o de defrontar o Presidente russo, Vladimir Putin, nas presidenciais de 2018.

Por esse motivo, Navalny idealizou a campanha “Voto inteligente”, que exorta os eleitores a apoiarem nos diversos escrutínios qualquer candidato que tenha possibilidade de derrotar o representante da Rússia Unida, o partido de Putin.

Após utilizar esta fórmula nas eleições municipais de 2019 em Moscovo, Navalni voltou a propor a mesma opção nas recentes eleições regionais, mas foi envenenado quando fazia campanha na Sibéria.

A oposição propõe utilizar o mesmo método nas legislativas de 2021, com o objetivo de retirar a maioria parlamentar à Rússia Unida.

Navalny exigiu hoje às autoridades russas a devolução da roupa que usava quando foi envenenado num hotel da cidade siberiana de Tomsk.

O ministério da Saúde de Tomsk argumentou que essa roupa foi confiscada pelos organismos de investigação que assumiram o controlo do caso.

A Alemanha e a França denunciaram uma “tentativa de assassinato” de Navalni, mas Moscovo respondeu acusando-os de politizar o caso, exigindo a Berlim dados das análises toxicológicas realizadas pelo opositor.

O Governo alemão, que denunciou o envenenamento de Navalny com Novichok, uma substância neurotóxica concebida por especialistas soviéticos e com fins militares, anunciou há uma semana que laboratórios da França e Suécia também confirmaram que o opositor foi envenenado.

PCR // FPA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS