Navalny: Justiça russa mantém opositor em prisão efetiva mas reduz pena

A justiça russa confirmou hoje a sentença de prisão efetiva do líder da oposição, Alexei Navalny, por violação de medidas de controlo judicial, mas reduziu-lhe a pena, avançou a Agência France-Presse.

Navalny: Justiça russa mantém opositor em prisão efetiva mas reduz pena

Navalny: Justiça russa mantém opositor em prisão efetiva mas reduz pena

A justiça russa confirmou hoje a sentença de prisão efetiva do líder da oposição, Alexei Navalny, por violação de medidas de controlo judicial, mas reduziu-lhe a pena, avançou a Agência France-Presse.

Segundo a AFP, o juiz de um tribunal de Moscovo, Dmitri Balashov, reduziu a pena em um mês e meio pelo que o ativista e principal opositor do regime russo irá cumprir uma pena de dois anos e meio de prisão.

Nesta audiência estava em causa a apreciação do recurso de Alexei Navalny contra a conversão em prisão efetiva da pena suspensa a que havia sido inicialmente condenado.

Logo no início da audiência, Navalny lançou a questão “porque estamos aqui?”, aludindo ao facto de esta estar a decorrer no tribunal distrital de Babushkinski e não na sede do tribunal de Moscovo, segundo relatou a agência online independente Medusa.

Na resposta, o juiz disse que a decisão de mudar o lugar da audiência favorecia Navalny evitando viagens desnecessárias aos seus advogados, já que o ativista irá também hoje ouvir o veredicto do processo de difamação que lhe foi movido.

Os países ocidentais, em particular os Estados Unidos e os Estados-membros da União Europeia, têm apelado à libertação do opositor, detido desde o seu regresso à Rússia em 17 de janeiro após uma suposta tentativa de envenenamento no verão passado e um longo período de convalescença na Alemanha.

O Ocidente também tem condenado a repressão de manifestações ocorridas na Rússia no final de janeiro e no início de fevereiro.

A Rússia tem rejeitado as acusações sobre o envolvimento do Kremlin no envenenamento de Navalny com um agente neurotóxico e considera as críticas ocidentais como uma ingerência nos seus assuntos internos.

Em 02 de fevereiro, a justiça russa condenou Navalny, de 44 anos, a uma pena de três anos e meio de prisão ao tornar efetiva uma sentença suspensa em 2014, um julgamento considerado arbitrário pelo TEDH.

No entanto, a sentença impôs que fossem descontados os dez meses em que Navanly permaneceu em prisão domiciliária, devendo assim cumprir dois anos e oito meses.

LT (SCA/PCR) // FPA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS