Óbito | António Guterres lembra Joaquim Pina Moura como «um amigo»

O ex-ministro da Economia e das Finanças Joaquim Pina Moura morreu em casa, em Lisboa, aos 67 anos, devido a doença neurodegenerativa, disse à Lusa o filho, o fotojornalista João Pina

Óbito | António Guterres lembra Joaquim Pina Moura como «um amigo»

Óbito | António Guterres lembra Joaquim Pina Moura como «um amigo»

O ex-ministro da Economia e das Finanças Joaquim Pina Moura morreu em casa, em Lisboa, aos 67 anos, devido a doença neurodegenerativa, disse à Lusa o filho, o fotojornalista João Pina

O ex-ministro da Economia e das Finanças Joaquim Pina Moura morreu esta quinta-feira em casa, em Lisboa, aos 67 anos, devido a doença neurodegenerativa, disse à Lusa o filho, o fotojornalista João Pina.

O antigo primeiro-ministro português António Guterres enviou hoje uma mensagem de pesar à família de Joaquim Pina Moura para lembrar um amigo «com grande dedicação à causa pública». «Foi com profunda tristeza que soube do falecimento do meu amigo Joaquim Pina Moura», escreveu o atual secretário-geral da ONU, numa declaração enviada à agência Lusa.

«Teve uma vida de grande dedicação a causa pública, como eu próprio pude testemunhar durante anos de trabalho conjunto», sublinhou Guterres, que entre 1995 e 2002 teve Joaquim Pina Moura como secretário de Estado Adjunto (1995) e como ministro da Economia e das Finanças (1999).

Joaquim Pina Moura foi secretário de Estado adjunto de Guterres até 1997

Natural de Loriga, Seia (distrito da Guarda), Pina Moura frequentou o curso de Engenharia Mecânica na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e foi dirigente da Associação de Estudantes entre 1972 e 1974.

Licenciado em Economia, obteve uma pós-graduação em Economia Monetária e Financeira pelo Instituto Superior de Economia e Gestão, onde foi assistente. Foi membro do Partido Comunista Português entre 1972 e 1991, tendo aderido ao Partido Socialista em setembro de 1995.

Joaquim Pina Moura exerceu o cargo de secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro António Guterres até 1997, ano em foi nomeado ministro da Economia do XIII Governo Constitucional.

Em 1999, foi nomeado ministro das Finanças e da Economia do XIV Governo Constitucional, também liderado por António Guterres. Pina Moura ocupou a pasta das Finanças desde Outubro de 1999, tendo substituído António Sousa Franco no cargo e acumulado a posição com a pasta da Economia até Setembro de 2000. Em dezembro de 2001 deixou o Governo de António Guterres, tendo sido substituído por Oliveira Martins.

Deixou a política para se dedicar às empresas

Exerceu o cargo de deputado, mas deixou as funções para se dedicar ao mundo da gestão em diversas companhias, com destaque para a unidade da Iberdrola em Portugal, onde foi presidente durante vários anos.

Entrou na Iberdrola Portugal em 2004 e saiu em 2014, quando o seu estado de saúde se começou a agravar. Foi também administrador da Galp, na altura em que a Iberdrola era acionista da petrolífera portuguesa.

Também presidiu ao conselho de administração da Media Capital, de onde saiu em 2009. Quando entrou na administração da dona da TVI, em 2007, abandonou todos os cargos no PS e deixou de ser deputado na Assembleia da República.

O ministro da Economia, Siza Vieira, emitiu uma nota à comunicação social, onde apresenta “sentidas condolências” à família e assinala que “Pina Moura teve militância política destacada, antes e depois do 25 de abril, e entre outras funções públicas que exerceu, foi Ministro da Economia em dois governos constitucionais, quando era primeiro ministro António Guterres”.

LEIA MAIS
Contribuintes têm até hoje para validar agregado familiar

 

Impala Instagram


RELACIONADOS