Moçambique/Ataques: CPLP pede apoio internacional por causa de violência em Cabo Delgado

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) fez hoje um “veemente apelo” à comunidade internacional para prestar assistência humanitária a Moçambique por causa da violência que se regista na província de Cabo Delgado.

Moçambique/Ataques: CPLP pede apoio internacional por causa de violência em Cabo Delgado

Moçambique/Ataques: CPLP pede apoio internacional por causa de violência em Cabo Delgado

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) fez hoje um “veemente apelo” à comunidade internacional para prestar assistência humanitária a Moçambique por causa da violência que se regista na província de Cabo Delgado.

O apelo foi feito durante a reunião do Conselho de Ministros da CPLP, que esteve reunido por videoconferência, e presidido a partir da cidade da Praia por Luís Filipe Tavares, ministro dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde, país que detém a presidência pro-tempore da comunidade lusófona.

“Fizemos também um veemente apelo à comunidade internacional no sentido de prestar assistência humanitária a Moçambique que neste momento precisa da colaboração dos Estados vizinhos, mas também de toda a comunidade internacional porque a crise humanitária que se vive lá é muito complicada. A CPLP está solidária com Moçambique”, disse o ministro cabo-verdiano.

Luís Filipe Tavares afirmou que a posição dos chefes de diplomacia da CPLP foi assumida após uma intervenção da homóloga da Moçambique, Verónica Macamo Dlhovo, que falou da situação em Cabo Delgado.

“Nós manifestámos o nosso apoio político e a nossa solidariedade para com Moçambique nesta situação, que é uma tragédia humana terrível. Vamos continuar a acompanhar a situação com muita atenção”, garantiu.

Questionado sobre outros apoios concretos da CPLP, o ministro cabo-verdiano reafirmou que neste momento o mais importante é o apoio político-diplomático, mas garantiu que os países vão concertar-se para verem que outras ajudas podem dar a Moçambique.

“Mas neste momento, o mais importante é o apoio político e mobilização de toda a comunidade internacional para a causa moçambicana, para aquilo que se passa em Cabo Delgado. E já é um esforço muito grande”, afirmou Luís Filipe Tavares.

Esta foi a primeira vez que a CPLP se pronunciou publica e formalmente sobre os ataques e a violência que afetam a província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

Moçambique enfrenta uma insurgência armada com ligações ao grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico na província de Cabo Delgado, norte do país.

A violência está a provocar uma crise humanitária com mais de duas mil mortes e 560 mil pessoas deslocadas, sem habitação, nem alimentos, concentrando-se sobretudo na capital provincial, Pemba.

“Reafirmação da Cooperação na CPLP no contexto da pandemia Covid-19” foi o tema desta que foi a primeira reunião do Conselho de Ministros após o início da pandemia.

O Conselho de Ministros é constituído pelos ministros dos Negócios Estrangeiros e Relações Exteriores dos nove Estados-membros da CPLP.

A CPLP integra Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

 

RIPE // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS