Moçambique sobe no Índice de Perceção da Corrupção 2021

Moçambique ganhou um ponto no Índice de Perceção da Corrupção 2021, divulgado hoje pela organização Transparência Internacional, o que lhe permitiu subir da 149.ª para a 147.ª posição.

Moçambique sobe no Índice de Perceção da Corrupção 2021

Moçambique sobe no Índice de Perceção da Corrupção 2021

Moçambique ganhou um ponto no Índice de Perceção da Corrupção 2021, divulgado hoje pela organização Transparência Internacional, o que lhe permitiu subir da 149.ª para a 147.ª posição.

Pese embora a melhoria em relação à edição de 2020, tal não retira o país lusófono do grupo de maiores retrocessos na África subsaariana – ao lado da República do Congo, Maláui, Madagáscar, Libéria e Zâmbia – por acumular seis pontos perdidos desde 2012, nota a organização.

Do lado oposto está Angola, que subiu oito pontos desde 2014 e integra o grupo dos países com maiores progressos.

A organização Transparência Internacional (TI) tem alertado Moçambique para a necessidade de haver esforços concertados para apoiar “a transparência e a responsabilização”, caso contrário o país arrisca-se a entrar numa “espiral descendente”, como referiu em 2021 Mokgabo Kupe, conselheira da TI para a África Austral.

O Centro de Integridade Pública (CIP), organização não-governamental (ONG) moçambicana, considerou no último ano haver melhorias nas leis anticorrupção do país desde 2004, mas deixou o alerta de que não estão a produzir efeitos, apelando a reformas mais profundas.

A média da África subsaariana no índice de 2021 é de 33 pontos, a mais baixa do mundo, e 44 países classificam-se abaixo dos 50 pontos. 

Quanto aos outros países lusófonos, Portugal surge no índice na 33.ª posição com 62 pontos, seguido por Cabo Verde (39.ª posição, 58 pontos); São Tomé e Príncipe (68.ª posição, 45 pontos); Timor-Leste (82.ª posição, 41 pontos); Angola (136.ª posição, 29 pontos), Guiné Bissau (162.ª posição, 21 pontos) e Guiné Equatorial, que está na 171.ª posição, com apenas 17 pontos, e merece algumas considerações particularmente críticas no relatório anual da organização não-governamental (ONG) sediada em Berlim.

O Índice de Perceção da Corrupção (IPC), organizado pela TI, classifica 180 países e territórios pelos níveis de perceção da corrupção no setor público, numa escala de zero (altamente corrupta) a 100 pontos (limpa da perceção de corrupção).

LFO (APL) // VM

Lusa/Fim

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS