MNE guineense destaca “necessidade imperiosa” de apoio internacional para consolidar paz e desenvolver país

A ministra de Estado e dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, Suzi Barbosa, destacou hoje a “necessidade imperiosa” de apoio internacional no relançamento do comité de pilotagem conjunto do Fundo de Consolidação de Paz das Nações Unidas.

MNE guineense destaca

MNE guineense destaca “necessidade imperiosa” de apoio internacional para consolidar paz e desenvolver país

A ministra de Estado e dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, Suzi Barbosa, destacou hoje a “necessidade imperiosa” de apoio internacional no relançamento do comité de pilotagem conjunto do Fundo de Consolidação de Paz das Nações Unidas.

Num discurso proferido no início dos trabalhos daquele comité de pilotagem, a chefe da diplomacia guineense destacou a importância da presença dos parceiros internacionais.

“A sua presença aqui é importante devido à necessidade imperiosa de continuidade do apoio internacional amplo e decisivo aos esforços nacionais de forma a consolidar efetivamente a paz como condição fundamental para o processo de desenvolvimento económico e social da Guiné-Bissau”, salientou a ministra.

A governante guineense sublinhou também o interesse do Governo no “diálogo para planificação das prioridades” definidas pelas autoridades guineenses em “prol da consolidação da paz” no país.

A Guiné-Bissau beneficia do Fundo de Consolidação da Paz da ONU desde 2007, mas, segundo o coordenador residente do sistema das Nações Unidas no país, Mamadou Diallo, em 14 anos o país apenas beneficiou do “metade do dinheiro” doado pelos parceiros, num total de 46,7 milhões de dólares.

“Não se conseguiu afetar o dinheiro todo devido ao golpe de Estado de 2012 e à instabilidade política”, salientou Mamadou Diallo, para quem o relançamento do comité de pilotagem vai permitir que a Guiné-Bissau volte a liderar o projeto.

“Se o processo tivesse sido conduzido de forma eficiente pelo Governo da Guiné-Bissau tenho a certeza que não estaríamos aqui sentados a discutir como recuperar a restante metade do fundo”, afirmou.

Mamadou Diallo garantiu também trabalhar com o Governo guineense para garantir que os fundos serão efetivamente distribuídos para projetos definidos pelas autoridades como prioritários para o desenvolvimento.

MSE // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS