Missão de observação

Missão de observação “Sala da Paz” diz que autárquicas moçambicanas foram transparentes

A rede de organizações não- governamentais moçambicana “Sala da Paz” considerou hoje que as eleições autárquicas de 10 de outubro foram transparentes, assinalando que os resultados até agora disponíveis correspondem aos dados da votação.

“Damos nota positiva à transparência do processo, porque os órgãos eleitorais começaram a dar resultados parciais e intermédios logo após o encerramento das urnas”, disse o diretor-executivo do Instituto para a Democracia Multipartidária (IMD), Hermenegildo Munjovo, em declarações à Lusa, à margem da apresentação de um relatório preliminar da missão de observação eleitoral da Sala da Paz.

Hermenegildo Munjovo destacou que nenhum partido político apontou a ocorrência de casos de fraude nas eleições autárquicas de quarta-feira, contrariamente ao que aconteceu no passado.

“Até ao momento, nenhum dos partidos políticos já apareceu com uma avaliação muito negativa da forma como foi feita a gestão e também dos resultados até aqui divulgados”, declarou Munjovo.

O diretor-executivo do IMD considerou exemplar o trabalho dos órgãos eleitorais, destacando que se registaram poucos casos de eleitores impedidos de votar devido a falhas na organização e gestão do processo.

Por outro lado, as anomalias registadas no dia da votação foram prontamente resolvidas.

“Não registámos ocorrências de grande gravidade, foram poucos os que não puderam exercer o seu direito por falhas e o tempo de reação a essas situações foi muito curto”, frisou Hermenegildo Munjovo.

No relatório que hoje divulgou, a “Sala da Paz” elogia a postura de responsabilidade e compromisso por parte de muitos munícipes no exercício do seu direito de voto e avalia positivamente o desempenho de todos os órgãos eleitorais e atores envolvidos diretamente no processo de votação.

“Outra nota positiva digna de relevo neste processo de votação é a participação dos meios de comunicação social que cobriram o evento e fizeram chegar aos munícipes as informações e os dados em tempo real”, lê-se no documento.

As autoridades eleitorais moçambicanas divulgaram, até às 13:00 de hoje (menos uma hora em Lisboa) os resultados provisórios de 21 dos 53 municípios que na quarta-feira foram a votos.

A Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder, venceu em 20 e perdeu num deles, Chiure, província de Cabo Delgado, para a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido da oposição – que ganha pela primeira vez naquela região nortenha.

Apenas uma das 10 capitais provinciais tem a contagem fechada, a cidade de Chimoio, na província de Manica, centro do país – cujos cinco municípios já estão apurados, com vitória da Frelimo, em todos eles, com maioria absoluta.

PMA // VM

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Missão de observação “Sala da Paz” diz que autárquicas moçambicanas foram transparentes

A rede de organizações não- governamentais moçambicana “Sala da Paz” considerou hoje que as eleições autárquicas de 10 de outubro foram transparentes, assinalando que os resultados até agora disponíveis correspondem aos dados da votação.