Ministro turco diz que acordo inclui retiradas dos curdos de uma faixa de 32 quilómetros na Síria

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia, Mevlüt Çavusoglu, afirmou hoje que o acordo alcançado com os Estados Unidos inclui a retirada das milícias curdas de uma faixa de 32 quilómetros no norte da Síria.

Ministro turco diz que acordo inclui retiradas dos curdos de uma faixa de 32 quilómetros na Síria

Ministro turco diz que acordo inclui retiradas dos curdos de uma faixa de 32 quilómetros na Síria

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia, Mevlüt Çavusoglu, afirmou hoje que o acordo alcançado com os Estados Unidos inclui a retirada das milícias curdas de uma faixa de 32 quilómetros no norte da Síria.

Mevlüt Çavusoglu acrescentou que esta faixa será controlada pelas tropas turcas.

“Os Estados Unidos aceitaram a zona de segurança e há um acordo total de que as forças armadas turcas controlarão essa área”, disse Çavusoglu em conferência de imprensa em Ancara, logo após o vice-Presidente norte-americano, Mike Pence, anunciar um acordo para a suspensão da ofensiva turca no nordeste da Síria

O vice-Presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, anunciou hoje em Ancara que a Turquia concordou suspender a sua ofensiva no nordeste da Síria, que terminará quando as forças curdas retirarem da região.

O anúncio foi feito após as conversações que manteve, acompanhado pelo chefe da diplomacia norte-americana, Mike Pompeo, com o Presidente turco Recep Tayyip Erdogan.

No decurso de uma conferência de imprensa na capital turca, Pence precisou que a Turquia vai interromper a sua ofensiva no norte da Síria durante cinco dias e pôr termo à incursão militar após uma retirada das forças curdas dessa região e durante esse prazo.

A ofensiva turca “vai terminar completamente quando terminar essa retirada” durante o período de suspensão, declarou aos ‘media’ após mais de quatro horas de conversações com Recep Tayyip Erdogan.

O objetivo da operação militar desencadeada em 09 de outubro consiste em criar uma “zona de segurança” de 32 quilómetros de profundidade e 480 quilómetros de comprimento ao longo da fronteira entre a Turquia e Síria para manter as Unidades de Proteção Popular (YPG, as milícias curdas que Ancara considera “terroristas”) à distância e repatriar parte dos 3,6 milhões de refugiados sírios que atualmente vivem no território turco.

A ofensiva turca surgiu após o anúncio de Donald Trump de que as tropas dos Estados Unidos iam abandonar a zona em causa.

A ofensiva de Ancara abriu uma nova frente na guerra da Síria que já causou mais de 370.000 mortos e milhões de deslocados e refugiados desde que foi desencadeada em 2011.

Se essas milícias curdas cumprirem este acordo, a Turquia vai conseguir alcançar o objetivo que levou à incursão militar por terra e ar.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje que a Turquia precisava de uma “mão forte” para declarar um cessar-fogo na sua ofensiva contra as milícias curdas.

“Este acordo nunca poderia ter sido feito há três dias. Eles precisavam (os turcos) de ‘mão forte’ para alcançá-lo. Bom para todos. Orgulhosos de todos”, disse Trump, numa mensagem na rede social Twitter.

O Presidente dos Estados Unidos acrescentou que “milhares de vidas serão salvas”.

“Este é um ótimo dia para a civilização. Tenho orgulho dos Estados Unidos por ficarem comigo quando se trata de seguir a via necessária, mas que ao mesmo tempo não é a mais convencional. As pessoas estavam a tentar alcançar este acordo há muitos anos”, acrescentou.

AJO (PCR) // EL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS