Ministro britânico da Ciência e Ensino Superior demite-se por se opor ao acordo do 'Brexit'

Ministro britânico da Ciência e Ensino Superior demite-se por se opor ao acordo do ‘Brexit’

O deputado conservador Sam Gyimah, que defendeu a permanência do Reino Unido na UE, diz que o acordo proposto por Theresa May “fará o país mais pobre, menos seguro e mais frágil”.

Londres, 01 dez (Lusa) — O ministro da Ciência e Ensino Superior britânico, Sam Gyimah, demitiu-se hoje por se opor ao acordo do ‘Brexit’ proposto pela primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, noticiou o jornal The Daily Telegraph.

O deputado conservador, que defendeu a permanência na União Europeia (UE) no referendo de 2016, disse que o pacto acordado pelo Governo britânico com Bruxelas “fará o país mais pobre, menos seguro e mais frágil”, subtraindo a soberania na tomada de decisões.

Com este acordo, o Reino Unido dirige-se para o “fracasso”, já que cede a “sua voz, voto e veto”, sustentou.

“O Reino Unido acabará pior, deixa de fazer as regras para obedecer”, escreveu o político, alertando que se trata de “um défice democrático” e “uma perda de soberania” que os cidadãos “nunca aceitarão”.

Esta é a sétima baixa no Governo britânico devido ao acordo, aprovado no último domingo pelos países da UE, que regulamenta a saída do Reino Unido do bloco europeu e define o futuro relacionamento bilateral.

Theresa May, que está a participar na cimeira do G20 na Argentina, tem a confiança de que irá conseguir apoio suficiente para o pacto, criticado tanto por apoiantes quanto por detratores do ‘Brexit’, antes de ser votado na Câmara dos Comuns a 11 de dezembro.

A chefe de Governo não revelou se tem um plano alternativo caso o texto seja rejeitado, o que abriria uma crise política com consequências imprevisíveis.

CSR // VM

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Ministro britânico da Ciência e Ensino Superior demite-se por se opor ao acordo do ‘Brexit’

O deputado conservador Sam Gyimah, que defendeu a permanência do Reino Unido na UE, diz que o acordo proposto por Theresa May “fará o país mais pobre, menos seguro e mais frágil”.