Ministra da Defesa prevê lançar até final do ano Quadro Permanente de Praças

A ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras revelou hoje que o Quadro Permanente de Praças na Força Aérea Portuguesa (FAP) e no Exército será lançado “antes do final do ano”.

Ministra da Defesa prevê lançar até final do ano Quadro Permanente de Praças

Ministra da Defesa prevê lançar até final do ano Quadro Permanente de Praças

A ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras revelou hoje que o Quadro Permanente de Praças na Força Aérea Portuguesa (FAP) e no Exército será lançado “antes do final do ano”.

Afirmando estar “ciente do desafio da retenção de pessoas qualificadas para a Defesa, sobretudo para um ramo tão tecnologicamente exigente como a Força Aérea”, a ministra comprometeu-se com a implementação de várias medidas.

“A par de outras medidas transversais como o investimento nas condições de habitabilidade, através da Lei das Infraestruturas Militares, em processo de revisão, iremos lançar o Quadro Permanente de Praças na Força Aérea e do Exército antes do final do ano”, afirmou, em Beja.

Segundo Helena Carreiras, o ministério que tutela está também “a trabalhar” para “alargar o Regime do Contrato Especial a outras situações funcionais identificadas pela Força Aérea como prioritárias”.

No seu discurso, na cerimónia militar que assinalou o 70.º aniversário da FAP, a ministra abordou ainda o Plano de Ação para a Profissionalização do Serviço Militar, adotado em 2019 e que “prevê medidas para melhorar o recrutamento e a retenção nas Forças Armadas, bem como para a transição da vida militar para a vida civil”.

“É agora momento de acelerar a sua implementação e adaptá-lo a um contexto em forte mudança, promovendo a sua devida articulação com o Plano Setorial da Defesa Nacional para a Igualdade, de forma a assegurar que todas as pessoas na Defesa têm as mesmas oportunidades no acesso e ao longo das suas carreiras”, afirmou.

A ministra indicou que, “nos próximos meses”, pretende que esteja terminada a revisão do Plano para Profissionalização, que “vai concentrar-se em medidas que concorram para tornar a carreira militar mais atrativa e mais compatível com as necessidades das Forças Armadas e do País”.

O objetivo é atrair “talento de forma mais recorrente e estável” e assegurar “uma transição mais qualificada e eficaz para o mercado de trabalho”.

Além de abordar outros aspetos, a ministra da Defesa Nacional aludiu ainda ao apoio prestado pelas Forças Armadas, nomeadamente a Força Aérea, no âmbito do Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Rurais (DECIR).

“Os últimos três anos contaram com o maior dispositivo de sempre, tendo a Força Aérea assegurado a disponibilidade de um total de 60 meios aéreos”, argumentou.

Portugal, salientou a ministra, “nunca teve tantas aeronaves disponíveis para enfrentar a fase mais crítica de incêndios”.

RRL // SF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS