Milhares de franceses manifestaram hoje apoio aos palestinianos

Vários milhares de pessoas reuniram-se hoje em França para reiterar o seu apoio aos palestinianos, após o cessar-fogo, na última quinta-feira, que pôs fim a 11 dias de confrontos mortais entre Israel e o Hamas, o movimento islamista que governa a Faixa de Gaza.

Milhares de franceses manifestaram hoje apoio aos palestinianos

Milhares de franceses manifestaram hoje apoio aos palestinianos

Vários milhares de pessoas reuniram-se hoje em França para reiterar o seu apoio aos palestinianos, após o cessar-fogo, na última quinta-feira, que pôs fim a 11 dias de confrontos mortais entre Israel e o Hamas, o movimento islamista que governa a Faixa de Gaza.

“Só porque há um cessar-fogo não significa que a questão esteja resolvida. Esta luta diz respeito a todas as pessoas ligadas aos valores da justiça, da dignidade e do direito”, disse à agência de notícias francesa AFP Bertrand Heilbronn, presidente da Associação França Palestina Solidariedade (AFPS), que organizou com várias outras associações e organizações a manifestação de hoje.

Em Paris, a mobilização foi limitada pela polícia da cidade realizou-se apenas uma manifestação na Place de la République (Praça da República), que não permitiu uma marcha.

“Palestina viverá, Palestina vencerá!”, “Israel assassino, Macron cúmplice”, “Somos todos palestinianos”, cantava a multidão sobre a qual as bandeiras palestinianas estavam hasteadas.

De acordo com o sindicato CGT, cujo secretário-geral, Philippe Martinez, marcou presença no protesto, 3.000 a 4.000 pessoas participaram naquela manifestação na capital francesa.

“Mesmo que o bombardeamento tenha parado, o ocupante continua lá, os habitantes do Xeque Jarrah continuam ameaçados de expulsão e a Faixa de Gaza está sob bloqueio”, denunciou um manifestante, Wael, um engenheiro informático de 28 anos, com uma bandeira palestiniana sobre os seus ombros.

Outras manifestações e marchas tiveram lugar em França.

Em Estrasburgo (leste), havia menos de mil pessoas. “Os palestinianos têm o direito de viver em paz e de ter um Estado. Israel priva-nos dos nossos direitos, dos nossos lares. Sou palestiniano, não tenho o direito de ir à Palestina, a minha família perdeu tudo”, disse à AFP Imad Deaibis, 28 anos.

Em Lille (norte), cerca de 1.000 manifestantes, segundo os organizadores, 650 segundo uma fonte policial, marcharam atrás de uma bandeira “Contra a colonização, a ocupação militar e o apartheid”, apelando a um boicote a Israel.

Também em Toulouse e Montpellier (no sul), várias centenas de pessoas saíram à rua.

O cessar-fogo anunciado na quinta-feira à noite pelas partes não define um prazo para o fim dos combates e continua a ser frágil.

O surto de violência entre o exército israelita e o Hamas deixou 248 palestinianos mortos, incluindo 66 crianças, segundo as autoridades em Gaza, e 12 mortos em Israel, incluindo uma criança, um adolescente e um soldado, segundo a polícia.

ATR // ZO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS