Primeiro-ministro da Ucrânia diz que metade do território está minado

Metade do território da Ucrânia, com uma área de 603.700 quilómetros quadrados dentro das suas fronteiras reconhecidas, está contaminado por minas e projéteis por explodir, disse hoje o primeiro-ministro, Denis Shmigal.

Primeiro-ministro da Ucrânia diz que metade do território está minado

Primeiro-ministro da Ucrânia diz que metade do território está minado

Metade do território da Ucrânia, com uma área de 603.700 quilómetros quadrados dentro das suas fronteiras reconhecidas, está contaminado por minas e projéteis por explodir, disse hoje o primeiro-ministro, Denis Shmigal.

“Surge a enorme necessidade de desminar o território. Mais de 300 mil quilómetros quadrados do território da Ucrânia estão contaminados com minas ou projéteis sem explodir”, publicou Shmigal no serviço de mensagens instantâneas Telegram, segundo a agência noticiosa Unian. No dia 23 de abril, o chefe da direção humanitária da administração militar regional de Kiev, Oleksiy Kuleba, tinha indicado que a desminagem desta vasta região, por si só, levaria anos. “Foi determinado o algoritmo de atuação para a reconstrução da região de Kiev. Tivemos combates em 35 comunidades territoriais ou elas foram ocupadas”, disse na altura ao canal de televisão Dom.

Para ler depois
Quais são os países que realmente mais se esforçam por ajudar a Ucrânia
Apesar de a maior contribuição absoluta ao esforço da Ucrânia para defender-se da invasão russa estar a vir dos Estados Unidos da América, o maior esforço não é aqui que é feito. Comparativamente à riqueza produzida, um país bem mais pequeno deu mais aos ucranianos que a administração de Biden (… continue a ler aqui)

Ao mesmo tempo, recordou que “este é um enorme território que, antes de mais, deve ser inspecionado e limpo de minas”. “Se estamos a falar de uma desminagem completa, compreendemos que levará anos”, apontou. A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de três mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior. A ofensiva militar causou a fuga de mais de 13 milhões de pessoas, das quais mais de 5,5 milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU. A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Impala Instagram


RELACIONADOS