Mesas eleitorais fecham no Brasil

As urnas de voto fecharam hoje às 17:00 (21:00 em Lisboa) no Brasil, numas eleições gerais altamente polarizadas entre o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, e o ex-chefe de Estado Lula da Silva.

Mesas eleitorais fecham no Brasil

Mesas eleitorais fecham no Brasil

As urnas de voto fecharam hoje às 17:00 (21:00 em Lisboa) no Brasil, numas eleições gerais altamente polarizadas entre o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, e o ex-chefe de Estado Lula da Silva.

Em Portugal, as urnas fecharam pelas 20:00, após o encerramento ser prolongado devido à forte afluência.

No Brasil, a votação pode continuar em mesas de voto onde ainda haja pessoas na fila para votar depois da hora de encerramento.

O encerramento das urnas estava previsto para as 17:00, mas cerca das 16:45 havia cerca de quatro mil pessoas na fila para votar, disse o cônsul do Brasil na capital portuguesa, Wladimir Waller.

Ao contrário das eleições anteriores, todas as assembleias de voto no Brasil abriram às 08:00 de Brasília (12:00 em Lisboa), numa espécie de subordinação de todas as mesas ao fuso horário da capital.

Os mais de 156 milhões de eleitores puderam votar em 577.125 urnas eletrónicas espalhadas por 5.570 cidades do país.

Jair Bolsonaro, vestido com um t-shirt verde e amarela da seleção ‘canarinha’, votou pelas 08:50 (12:50) na Vila Militar, Zona Oeste do Rio de Janeiro, manifestando confiança de que vencerá hoje as eleições presidenciais à primeira volta.

“Vai ser já no primeiro turno”, garantiu Bolsonaro depois de questionado pelos jornalistas se iria respeitar o resultado da votação.

Já o candidato e ex-presidente Lula da Silva (PT) votou de manhã em São Bernardo do Campo, cidade que é seu berço político, na região metropolitana de São Paulo.

Após votar, o candidato disse aos jornalistas que o Brasil “precisa recuperar o direito de ser feliz.”

“Queremos um país que viva em paz, com esperança e que acredite no futuro”, disse.

Para além de Lula da Silva e Bolsonaro, disputam as presidenciais brasileiras os candidatos Ciro Gomes, Simone Tebet, Luís Felipe D’Ávila, Soraya Tronicke, Eymael, Padre Kelmon, Leonardo Pericles, Sofia Manzano e Vera Lúcia.

Os números das eleições são à imagem de um país do tamanho de um continente: além dos 11 candidatos presidenciais, concorrem ainda 224 a governador, 243 ao senado, 10.630 a deputado federal, 16.737 a deputado estadual e 610 a deputado distrital, nos 27 estados (contando com o Distrito Federal) no país.

Dos mais de 29 mil candidatos, 1.323 procuram a reeleição.

Caso nenhum dos candidatos presidenciais ultrapasse 50% dos votos válidos, os dois mais votados voltam a enfrentar-se numa segunda volta em 30 de outubro.

FPA (MIM) //

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS