Mesas de voto em Cabo Verde já fecharam

As mesas de voto para as sétimas eleições legislativas em Cabo Verde fecharam hoje às 18:00 locais (20:00 em Lisboa), tendo a votação decorrido sem incidentes em todo o arquipélago, segundo fonte da Comissão Nacional de Eleições (CNE).

Mesas de voto em Cabo Verde já fecharam

Mesas de voto em Cabo Verde já fecharam

As mesas de voto para as sétimas eleições legislativas em Cabo Verde fecharam hoje às 18:00 locais (20:00 em Lisboa), tendo a votação decorrido sem incidentes em todo o arquipélago, segundo fonte da Comissão Nacional de Eleições (CNE).

A votação iniciou-se pelas 07:00 locais (09:00 em Lisboa), uma hora antes face ao habitual, medida adotada pela CNE devido aos riscos de aglomerações face à pandemia de covid-19, embora a abertura de várias mesas de voto tenha sido feita com atraso, devido a questões logísticas.

Fonte da CNE contactada pela Lusa ao final da tarde explicou que, além desses atrasos pontuais na abertura das mesas de voto, a votação decorreu sem incidentes de relevo reportados, além de uma previsível reduzida afluência global às urnas.

Numa ronda feita pela Lusa em várias mesas de votação ao longo do dia foi possível ver aglomerados de eleitores no exterior, sem distanciamento, contrariando as regras definidas pela própria CNE.

O Presidente da República cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, criticou ao final da manhã esses aglomerados.

“O que eu estou a ver aqui não seria desejável”, disse o chefe de Estado, questionado pelos jornalistas após votar no Instituto Universitário de Educação, uma das assembleias de voto na Praia em que foi visível a forte concentração, sem regras de distanciamento, no exterior, de dezenas de eleitores a tentar entrar para votar.

“A paixão pela política, pela disputa eleitoral faz esquecer um pouco a situação específica em que nós estamos a realizar as eleições, que é um ambiente de pandemia. E, portanto, deveria haver mais cuidado, mas prudência, mais rigor, para que as regras sanitárias e as regras de prevenção sejam devidamente cumpridas”, notou Jorge Carlos Fonseca.

Os primeiros resultados oficiais destas eleições, ainda provisórios, começam a ser divulgados a partir das 19:00 locais (21:00 em Lisboa).

Quase 393 mil eleitores cabo-verdianos foram chamados hoje às urnas para estas sétimas eleições legislativas de Cabo Verde, escolhendo entre 597 candidatos de seis partidos os 72 deputados ao parlamento na próxima legislatura.

A votação vai ainda definir o Governo para os próximos cinco anos e acontece num momento de recordes diários de novos infetados por covid-19 no arquipélago.

Para estas eleições estavam previstas 1.245 mesas de voto no arquipélago e 236 na diáspora, em 21 países, para um total de 392.993 eleitores recenseados, segundo a CNE.

Tal como previsto no plano definido pela CNE e conforme a Lusa constatou numa ronda pela cidade da Praia, para “garantir a segurança e proteção individual” dos membros das designados para as mesas das assembleias de voto, foram disponibilizados equipamentos de proteção individual, como máscara cirúrgica, viseira e luvas, “sendo obrigatório o seu uso durante o ato eleitoral”.

Os eleitores estavam obrigados à higienização das mãos à entrada de cada mesa de voto e as filas para votar obrigavam ao distanciamento social de, pelo menos, 1,5 metros, mas isso nem sempre aconteceu.

O número máximo de eleitores por mesa foi fixado em 350 eleitores, para o território nacional, “tendo em vista minimizar os constrangimentos logísticos, nomeadamente a falta de edifícios públicos e de cidadãos para desempenharem as funções de membros de mesa de voto”, segundo a CNE.

Nas eleições legislativas cabo-verdianas são eleitos para um mandato de cinco anos 72 deputados, dois dos quais pelo círculo de África, dois pelo círculo da América e dois pelo círculo da Europa e resto do mundo.

A ilha de Santiago vai eleger 33 dos 72 deputados nas eleições legislativas, contando com mais um deputado face à votação de 2016, conforme distribuição feita pela CNE após concluído o recenseamento eleitoral.

A estas legislativas concorrem, em todos os 13 círculos eleitorais no país e no estrangeiro, o Movimento para a Democracia (MpD), Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) e União Caboverdiana Independente e Democrática (UCID), todos com representação parlamentar.

Depois, o Partido Popular concorre em cinco círculos, o Partido Social Democrata em quatro e o Partido do Trabalho e da Solidariedade em cinco.

O MpD, então na oposição, venceu com maioria absoluta (quase 54% dos votos) as eleições legislativas em 2016, afastando do poder, ao fim de 15 anos, o PAICV (ambos os partidos já venceram, cada um, três eleições legislativas).

Cabo Verde conta com uma população de cerca de 550 mil pessoas, mas estima-se que a comunidade cabo-verdiana na diáspora ultrapasse o milhão.

O ciclo eleitoral em Cabo Verde iniciou-se em 25 de outubro de 2020, com as eleições municipais, prossegue hoje com eleições legislativas e termina em 17 de outubro deste ano com a primeira volta das eleições presidenciais.

PVJ // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS