Médio Oriente: China oferece dinheiro e vacinas anti-covid-19 à população de Gaza

O Governo chinês anunciou hoje que vai oferecer dinheiro e 200.000 doses de vacinas contra a covid-19 aos palestinianos atingidos pelos confrontos em Gaza.

Médio Oriente: China oferece dinheiro e vacinas anti-covid-19 à população de Gaza

Médio Oriente: China oferece dinheiro e vacinas anti-covid-19 à população de Gaza

O Governo chinês anunciou hoje que vai oferecer dinheiro e 200.000 doses de vacinas contra a covid-19 aos palestinianos atingidos pelos confrontos em Gaza.

O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China Zhao Lijian disse vai doar um milhão de dólares como assistência humanitária de emergência e mais um milhão para a UNRWA, a agência das Nações Unidas que fornece assistência vital à população do enclave.

A China vai “continuar a fornecer apoio humanitário dentro da sua capacidade e a participar ativamente na reconstrução de Gaza, de acordo com as necessidades do lado palestiniano”, declarou Zhao, em conferência de imprensa.

Os combates colocaram o sistema de saúde de Gaza à beira do colapso e a sua campanha de vacinação contra a covid-19, já lenta, foi interrompida, de acordo com o principal funcionário da OMS em Gaza, Sacha Bootsma.

A China tornou-se num grande exportador e doador de vacinas contra o novo coronavírus, assumindo um papel de liderança no que alguns chamam de “diplomacia das vacinas”.

O país é, há muito, um forte apoiante da causa palestiniana e, nos últimos dias, o Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês criticou os EUA por bloquearem uma declaração do Conselho de Segurança das Nações Unidas a condenar a violência.

No entanto, desde o estabelecimento de relações diplomáticas formais com Israel, em 1992, Pequim tem cultivado estreitos laços económicos, tecnológicos e militares, incluindo a compra dos primeiros modelos de veículos aéreos não tripulados (drones) feitos por Israel.

JPI // PMC

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS