Marcelo saúda propostas da Comissão Europeia sobre a crise energética

O Presidente da República saudou hoje a promessa da Comissão Europeia de criar financiamentos adicionais a nível europeu para investimentos em infraestruturas energéticas, considerando que é necessário encontrar “medidas excecionais” durante uma “situação excecional”.

Marcelo saúda propostas da Comissão Europeia sobre a crise energética

Marcelo saúda propostas da Comissão Europeia sobre a crise energética

O Presidente da República saudou hoje a promessa da Comissão Europeia de criar financiamentos adicionais a nível europeu para investimentos em infraestruturas energéticas, considerando que é necessário encontrar “medidas excecionais” durante uma “situação excecional”.

Em declarações aos no Palácio Presidencial de Chipre, em Nicósia, após um encontro de cerca de uma hora com o seu homólogo cipriota, Nicos Anastasiades, Marcelo Rebelo de Sousa referiu que um dos temas discutidos durante o encontro foi o impacto económico da guerra da Ucrânia e a resposta da União Europeia (UE).

Manifestando-se “profundamente preocupado” com os “custos económicos, sociais e financeiros” do conflito, Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que, a nível europeu, os diferentes Estados-membros estão a “tentar encontrar políticas comuns para lidar com estes dramas”, designadamente em termos de políticas energéticas.

“É por isso que saudamos propostas tais como a da Comissão Europeia em termos energéticos, a tentar encontrar uma solução justa para esta situação específica. Quando vivemos uma situação excecional, devemos encontrar medidas excecionais durante estes tempos tão difíceis de guerra”, referiu.

Nicos Anastasiades também abordou a questão energética, sublinhando que Chipre “apoia todas as medidas para fortalecer a autonomia energética e a segurança de abastecimento dos Estados-membros e da UE”.

“Chipre, devido às suas excelentes relações e sinergias de longa data com os seus países vizinhos, está pronto para assumir um papel importante e ser parte das soluções energéticas que a região do Mediterrâneo Oriental pode oferecer, com projetos concretos”, garantiu.

Anastasiades quis dar “dois exemplos paradigmáticos” do papel que Chipre pode ter na arquitetura energética europeia, abordando o East Mediterranean Gas Fórum, “que fornece uma plataforma ideal que a UE pode utilizar para promover a sua agenda energética”, e as interconexões energéticas EuroAsia e EuroAfrica, que passam ambas por Chipre.

TA // JNM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS