1. HOME >
  2. NOTICIAS >
  3. POLITICA
Marcelo elogia relevo de Costa no xadrez europeu e estabilidade política do Governo

Marcelo elogia relevo de Costa no xadrez europeu e estabilidade política do Governo

O PR destacou o “relevo do primeiro-ministro” no xadrez europeu e a estabilidade política do Governo como fatores que permitiram o reforço significativo do “peso de Portugal” na Europa.

Lisboa, 03 jan (Lusa) – O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, destacou hoje o “relevo do primeiro-ministro”, António Costa, no xadrez europeu e a estabilidade política do Governo como fatores que permitiram o reforço significativo do “peso de Portugal” na Europa.

Na cerimónia de cumprimentos de Ano Novo dos chefes de missão, embaixadores e cônsules-gerais de Portugal acreditados junto de vários Estados e organizações internacionais, que decorreu hoje no Antigo Museu Nacional dos Coches, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa avisou ainda que “qualquer que seja o veredito eleitoral” das legislativas deste ano, “a política externa portuguesa é e continuará a ser, no essencial, a mesma”.

“No plano europeu, o peso de Portugal reforçou-se significativamente pela sensatez das políticas e dos resultados financeiros, pela liderança do Eurogrupo, pelo relevo do primeiro-ministro no xadrez europeu, xadrez esse complexificado nos últimos meses e até pela estabilidade política, fazendo do chefe do Governo português um dos seis ou sete mais antigos da União Europeia no curto lapso de três anos”, elogiou.

Segundo o chefe de Estado, “não é fruto do acaso a intensíssima e coordenada atividade externa do Presidente da República, do primeiro-ministro e do ministro dos Negócios Estrangeiros, envolvendo em 2018 encontros com todas as principais potências globais e seus líderes”.

JF // JH

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Marcelo elogia relevo de Costa no xadrez europeu e estabilidade política do Governo

O PR destacou o “relevo do primeiro-ministro” no xadrez europeu e a estabilidade política do Governo como fatores que permitiram o reforço significativo do “peso de Portugal” na Europa.