Marcelo diz estar a “carregar baterias” quando questionado sobre recandidatura

Marcelo Rebelo de Sousa disse hoje estar a “carregar baterias” em Moçambique quando questionado sobre uma eventual recandidatura à Presidência da República, deixando a resposta em aberto.

Marcelo diz estar a

Marcelo diz estar a “carregar baterias” quando questionado sobre recandidatura

Marcelo Rebelo de Sousa disse hoje estar a “carregar baterias” em Moçambique quando questionado sobre uma eventual recandidatura à Presidência da República, deixando a resposta em aberto.

Marcelo Rebelo de Sousa encontra-se em Moçambique desde segunda-feira para uma visita de cinco dias, na qual assistirá à tomada de posse de Nyusi para um segundo mandato, cerimónia agendada para amanhã, 15 de janeiro. Ao ser questionado sobre uma eventual recandidatura à Presidência da República, o chefe de Estado deixou tudo em aberto. “Estou a carregar baterias em Moçambique, pode ser que isso ajude em termos também de Portugal”, respondeu à saída do palácio da presidência em Maputo. “Quem está para tomar posse é o Presidente moçambicano. Vamos deixar cada coisa para seu momento”, concluiu Marcelo, cujo primeiro mandato termina em 2021.

LEIA DEPOIS
Risco de suicídio diminui com aumento do salário mínimo

Agenda cheia em Moçambique

Marcelo Rebelo de Sousa visita hoje a Escola Portuguesa de Maputo, entre outros pontos de agenda, e, ao fim do dia, encontra-se com membros da comunidade portuguesa – estima-se que haja entre 23 a 25 mil portugueses em Moçambique. O programa de quarta-feira é preenchido com a tomada de posse do Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, para a qual são esperados diversos chefes de Estado, estando previsto um encontro bilateral entre Marcelo e Nyusi durante a tarde.

Na quinta-feira, desloca-se à cidade da Beira, onde visitará, nomeadamente, o consulado-geral de Portugal e o Hospital Central da Beira, arrasado pelo ciclone Idai e reconstruído com diversos apoios, entre os quais de Portugal. Na sexta-feira, novamente em Maputo, o chefe de Estado português tem encontro marcado com a equipa da Cooperação Técnico-Militar.

LEIA MAIS
Já foram angariados quase 4000 euros para transladação de corpo de português
Meco: Estado português condenado a pagar 13.000 euros de indemnização a família de estudante

Impala Instagram


RELACIONADOS