Manifestantes búlgaros bloqueiam o centro de Sofia e rodovia para a Grécia

Os manifestantes que exigem a renúncia do governo búlgaro há 24 dias, acusando-o de corrupção, aumentaram hoje a sua pressão, instalando um novo acampamento na capital e bloqueando a principal estrada de ligação à Grécia.

Manifestantes búlgaros bloqueiam o centro de Sofia e rodovia para a Grécia

Manifestantes búlgaros bloqueiam o centro de Sofia e rodovia para a Grécia

Os manifestantes que exigem a renúncia do governo búlgaro há 24 dias, acusando-o de corrupção, aumentaram hoje a sua pressão, instalando um novo acampamento na capital e bloqueando a principal estrada de ligação à Grécia.

Embora estejam instaladas em apenas trinta tendas, a sua localização em três pontos-chave da cidade continua a causar sérias restrições de tráfego.

Os manifestantes garantiram que não partirão até que o primeiro-ministro, Boiko Borisov, e o procurador-geral, Ivan Geshev, a quem acusam de servir os interesses de poderosos oligarcas e não da população, renunciem aos cargos que ocupam.

Além disso, um pequeno grupo de manifestantes também está a bloquear hoje, em Blagoevgrad, a cerca de 120 quilómetros a sul de Sófia, a estrada que liga a capital e a fronteira grega, causando atrasos no tráfego.

No sábado à noite, cerca de 2.000 pessoas manifestaram-se no centro de Sófia, numa marcha muito menor do que a que aconteceu na passada quinta-feira, quando mais de 25.000 pessoas se concentraram durante várias horas na praça onde está situada a sede do Governo, do Parlamento e da Presidência.

Também estão a ocorrer protestos em cidades como Stara Zagora, onde milhares de pessoas tentaram no sábado à noite bloquear a estrada que liga a capital ao Mar Negro, e em Varna, a capital marítima e importante centro de férias.

Os protestos no país mais pobre da União Europeia começaram há 24 dias, após a divulgação de um vídeo, onde se viam policias a expulsar um político da oposição de uma praia pública usada como propriedade privada por Ahmed Dogan, um influente e polémico bilionário e político.

Cerca de 60% dos búlgaros apoia o protesto e 45% pede a renúncia do primeiro-ministro, de acordo com uma pesquisa publicada hoje pela empresa Alpha Research.

Segundo essa pesquisa, 50,3% também acreditam que Dogan tem o procurador-geral sob seu controlo.

JDN // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS