Mais de 78 mil desempregados no 2.º trimestre passaram para o emprego no 3.º trimestre

Cerca de 26,1% dos desempregados no segundo trimestre deste ano, ou 78,1 mil pessoas, transitaram para o emprego no terceiro trimestre, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística.

Mais de 78 mil desempregados no 2.º trimestre passaram para o emprego no 3.º trimestre

Mais de 78 mil desempregados no 2.º trimestre passaram para o emprego no 3.º trimestre

Cerca de 26,1% dos desempregados no segundo trimestre deste ano, ou 78,1 mil pessoas, transitaram para o emprego no terceiro trimestre, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística.

“Do total de pessoas que estavam desempregadas no segundo trimestre de 2022, 53,9% (160,9 mil) permaneceram nesse estado no terceiro trimestre de 2022, 26,1% (78,1 mil) transitaram para o emprego e 20,0% (59,8 mil) transitaram para a inatividade”, referem as estatísticas de fluxos entre estados do mercado de trabalho para o terceiro trimestre, hoje divulgadas.

O INE acrescenta que cerca de um terço dos desempregados (32,6%; 47,9 mil) e um sétimo da “força de trabalho potencial” (14,0%; 22,5 mil) do segundo trimestre transitou para o emprego entre julho e setembro.

No período em análise, 12,0% (86,7 mil) das pessoas que estavam em trabalho por contra própria transitaram para trabalho por contra de outrem, ao passo que “1,6% (65,2 mil) das pessoas que tinham um trabalho por conta de outrem transitaram para um trabalho por conta própria”.

Do total de trabalhadores por conta de outrem que entre abril e junho tinham um contrato de trabalho com termo ou outro tipo de contrato, 19,3% (129,2 mil) passaram a ter um contrato sem termo nos três meses seguintes.

Os dados do instituto estatístico acrescentam que “cerca de um em cada quatro empregados a tempo parcial (24,1%; 94,2 mil) no segundo trimestre de 2022 passou a trabalhar a tempo completo no terceiro trimestre de 2022”.

Já a percentagem de pessoas que permaneceram empregadas entre o segundo e o terceiro trimestre do ano mas que mudaram de emprego “diminuiu 0,4 pontos percentuais em relação aos últimos dois trimestres, fixando-se nos 3,1% (145,7 mil)”.

Do total e em relação ao segundo trimestre, 96,5% (4,73 milhões) permaneceram empregadas, 1,1% (55,1 mil) passaram para o desemprego e 2,3% (114,9 mil) para a inatividade entre julho e setembro.

O fluxo líquido do emprego (total de entradas menos total de saídas) “foi de sinal positivo e estimado em 27,3 mil pessoas”.

No que respeita ao fluxo líquido do desemprego, este “foi de sinal positivo e estimado em 7,0 mil pessoas”, o que “resulta do total de pessoas que transitaram para o desemprego (144,8 mil) ter sido superior ao total das pessoas que saíram desse estado (137,9 mil).

O próximo destaque sobre as estatísticas de fluxos entre estados do mercado de trabalho, referente ao quarto trimestre deste ano, será publicado em 15 de fevereiro de 2023.

JO // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS