Luta interna entre os comunistas no poder no Nepal faz aumentar manifestações

O primeiro-ministro do Nepal, que enfrenta uma grave crise política, juntou hoje dezenas de milhares de apoiantes numa marcha na capital do país, um dia após uma greve geral da oposição.

Luta interna entre os comunistas no poder no Nepal faz aumentar manifestações

Luta interna entre os comunistas no poder no Nepal faz aumentar manifestações

O primeiro-ministro do Nepal, que enfrenta uma grave crise política, juntou hoje dezenas de milhares de apoiantes numa marcha na capital do país, um dia após uma greve geral da oposição.

Dezenas de milhares de pessoas empunhando bandeiras do Partido Comunista, no poder, juntaram-se hoje no centro de Katmandu entoando cânticos de apoio ao primeiro-ministro, Khadga Prasad Oli.

“Nós amamos K.P. Oli. OLi é o nosso herói. Oli para primeiro-ministro durante os próximos dez anos”, cantaram os manifestantes no centro da cidade.

Uma fação do Partido Comunista de Oli e os partidos da oposição têm promovido protestos contra o primeiro-ministro desde que o Governo decidiu dissolver o Parlamento no passado dia 20 de dezembro agendando para os dias 30 de abril e 10 maio a realização de novas eleições.

O grupo dissidente comunista organizou uma greve geral na quinta-feira, conseguindo paralisar escolas, mercados e meios de transporte.

A fação e o primeiro ministro estão em confronto pelo controlo do Partido Comunista e o assunto deve ser resolvido pela Comissão Eleitoral, visto que os dissidentes anunciaram que expulsaram o primeiro-ministro do partido durante uma reunião no mês passado.

Oli foi eleito há três anos, depois da união entre o Partido Comunista e os antigos guerrilheiros maoistas.

Mesmo assim, e apesar da reunificação do Partido Comunista, têm-se intensificado as tensões entre Oli e o antigo líder dos guerrilheiros maoistas, Pushpa Kamal Dahal que é vice-presidente do partido.

Anteriormente os dois dirigentes tinham acordado dividir o mandato executivo em dois períodos para que Dahal também pudesse ocupar o cargo de primeiro-ministro.

Por outro lado, a oposição acusa o governo de Oli de corrupção tendo-se agravado o descontentamento devido à forma como o Executivo está a lidar com a crise sanitária no Nepal.

 

PSP // FPA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS