Lusa realiza duas conferências em Portugal e Macau este ano

O presidente do Conselho de Administração da Lusa anunciou hoje que a agência vai assinalar um “ano muito específico” das relações entre Portugal, Macau e China com duas conferências internacionais, uma em Lisboa e outra em Macau.

Lusa realiza duas conferências em Portugal e Macau este ano

Lusa realiza duas conferências em Portugal e Macau este ano

O presidente do Conselho de Administração da Lusa anunciou hoje que a agência vai assinalar um “ano muito específico” das relações entre Portugal, Macau e China com duas conferências internacionais, uma em Lisboa e outra em Macau.

“Vamos assinalar este ano muito específico das relações entre Portugal, Macau e China com duas grandes conferências, uma a 16 de abril, em Lisboa, com oradores que vão falar sobre a China atual do ponto de vista político e económico, e depois em novembro faremos uma réplica desta conferência, desta vez em Macau, com oradores internacionais”, disse Nicolau Santos.

Na base da realização destas conferências está a concretização das duas grandes áreas de intervenção da agência de notícias: “os países de língua oficial portuguesa em África (PALOP), e depois Macau e China”, disse o presidente da Lusa.

Na explicação sobre a escolha de Macau enquanto prioridade da Lusa, Nicolau Santos lembrou que “Macau foi definida por Pequim como a plataforma chinesa para a ligação aos países de língua oficial portuguesa, em particular aos países africanos” e acrescentou que a Lusa “é a única agência estrangeira no território”.

Além disso, vincou, “é incontornável para os responsáveis do Governo de Macau poderem passar as suas mensagens para fora das fronteiras estritas de Macau”.

Este ano é “particularmente importante e relevante para as relações entre Portugal e a China”, disse o presidente da Lusa, apontando a celebração dos 20 anos da entrega do território de novo à China, os 40 anos do restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países e os 70 anos da independência da República Popular da China.

“Tentamos, por esta via, consolidar e afirmar a nossa estratégia”, salientou, apontando que a conferência terá a presença de políticos, empresários e académicos portugueses e chineses, todos com profundo conhecimento dos dois países.

A conferência decorre dia 16 de abril no Centro Científico e Cultural de Macau, e conta com a presença do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, do embaixador da China em Portugal, Cai Run, e do reitor da Universidade de Lisboa, António Cruz Serra, para além de uma mensagem do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Depois da nota de boas vindas, feita pelo presidente da Lusa, Nicolau Santos, e pelo presidente do Centro Científico e Cultural de Macau, Luís Filipe Barreto, o primeiro painel é dedicado às Oportunidades de Futuro, enquanto o segundo módulo incide sobre As Pontes para a Lusofonia.

O primeiro painel terá intervenções do vice-presidente do conselho de administração da Fundação Oriente, João Costa Pinto, do presidente da câmara de comércio luso-chinesa, João Marques da Cruz, da presidente da comissão executiva da Luz Saúde, Isabel Vaz, e do presidente da YDreams, António Câmara.

No segundo painel participam o presidente da Fundação Jorge Álvares, o general Garcia Leandro, o presidente da AICEP, Luís Castro Henriques, o presidente da confederação empresrial da CPLP, Salimo Abdula, o chairman da Delta Cafés, Rui Nabeiro, e o secretário-geral adjunto do Fórum Macau, Rodrigo Brum.

MBA // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS