Lula da Silva quer reduzir custo do acesso à Internet nas casas brasileiras

O futuro governo do Presidente eleito do Brasil está a estudar formas de reduzir o custo do acesso à Internet em casa dos brasileiros, disse o antigo ministro Paulo Bernardo, membro do grupo técnico responsável pelas telecomunicações na equipa de transição de Luiz Inácio Lula da Silva

Lula da Silva quer reduzir custo do acesso à Internet nas casas brasileiras

Lula da Silva quer reduzir custo do acesso à Internet nas casas brasileiras

O futuro governo do Presidente eleito do Brasil está a estudar formas de reduzir o custo do acesso à Internet em casa dos brasileiros, disse o antigo ministro Paulo Bernardo, membro do grupo técnico responsável pelas telecomunicações na equipa de transição de Luiz Inácio Lula da Silva

Redação, 11 dez 2022 (Lusa) — O futuro governo do Presidente eleito do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, está a estudar formas de reduzir o custo do acesso à Internet em casa dos brasileiros, disse um antigo ministro.

Paulo Bernardo, membro do grupo técnico responsável pelas telecomunicações na equipa de transição de Lula da Silva, disse que a prioridade são os cidadãos vinculados ao mecanismo do governo Cadastro Único para Programas Sociais.

“Nós estudamos formas de tornar mais baratos os pacotes de serviços, com foco na banda larga domiciliar, com fibra ótica. Estamos sugerindo começar por aí”, disse Bernardo ao jornal O Globo no sábado.

O antigo ministro sublinhou que, segundo análise efetuadas e uma ronda de contactos com os principais fornecedores de ligação à Internet, o Brasil dispõe das infraestruturas necessárias, pelo que não será necessário investir em construir mais, mas sim em baixar as tarifas.

A equipa de Lula de Silva, que tomará posse em 01 de janeiro, está a avaliar algumas alternativas para compensar o custo do acesso à Internet, como cortes de impostos ou um pagamento extra no programa Auxílio Brasil, que deverá voltar a chamar-se Bolsa Família.

No entanto, Paulo Bernardo frisou que a política está numa fase inicial e ainda não é um programa porque faltam ouvir outras áreas, e será aprofundada após a constituição do novo governo.

VQ // VQ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS