Líder trabalhista desafia PM britânica a declarar Acordo de Saída da UE morto

O líder do partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, desafiou hoje a primeira-ministra britânica, Theresa May, a declarar “morto” o Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia (UE) e a aceitar votos sobre alternativas.

Líder trabalhista desafia PM britânica a declarar Acordo de Saída da UE morto

Líder trabalhista desafia PM britânica a declarar Acordo de Saída da UE morto

O líder do partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, desafiou hoje a primeira-ministra britânica, Theresa May, a declarar “morto” o Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia (UE) e a aceitar votos sobre alternativas.

“Tendo em conta que a primeira-ministra admitiu hoje que não tem o apoio suficiente para aprovar o acordo, podia aceitar que o acordo dela está morto e que a Câmara [dos Comuns] não deveria desperdiçar tempo a dar a mesma resposta pela terceira vez”, afirmou Corbyn.

O líder trabalhista exigiu um “plano B” e defendeu ser altura de o “parlamento ganhar o controlo” do processo, prometendo o apoio do principal partido da oposição a uma proposta para forçar um debate na quarta-feira sobre alternativas à estratégia do governo.

Corbyn disse ter participado em discussões interpartidárias “para encontrar um caminho em frente”, acrescentando: “Eu acredito existir apoio nesta Câmara para um acordo baseado numa alternativa que proteja empregos, a economia através de uma união aduaneira e acesso total ao mercado único e que nos permite continuar a beneficiar da participação em agências vitais e medidas de segurança”.

Se o governo não concordar com uma alternativa determinada pelos deputados, pois os “votos indicativos” não têm caráter vinculativo, o partido Trabalhista vai aprovar “medidas para uma votação pública que impeça uma saída sem acordo ou um acordo caótico”.

O parlamento debate esta tarde uma série de propostas sobre os próximos passos do processo do ‘Brexit’, incluindo uma subscrita por deputados de diferentes partidos para o parlamento realizar uma série dos chamados “votos indicativos” com o objetivo de perceber se uma maioria dos deputados consegue concordar em alguma das diferentes opções para o ‘Brexit’.

Na semana passada, o Conselho Europeu concordou com uma prorrogação da data de saída do Reino Unido da UE até 22 de maio de 2019, desde que o Acordo de Saída seja aprovado pela Câmara dos Comuns até sexta-feira.

Se isso não acontecer, o Conselho Europeu estipulou uma prorrogação até 12 de abril de 2019 e disse que esperava que o Reino Unido indicasse um caminho a seguir antes dessa data para a consideração dos líderes europeus.

O Acordo foi chumbado pelo parlamento britânico a 12 de março por 391 votos contra e 242 votos a favor, uma diferença de 149 votos, repetindo o chumbo de janeiro por 432 votos contra e 202 contra, uma margem histórica de 230 votos.

BM // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS