Líder militar sudanês saúda projeto de Constituição transitória

O vice-presidente do Conselho Soberano do Sudão, oficial militar Mohamed Hamdan Dagalo, saudou hoje um projeto de Constituição transitória elaborado pela Ordem dos Advogados e exortou os políticos e a sociedade civil a empenharem-se na resolução da crise.

Líder militar sudanês saúda projeto de Constituição transitória

Líder militar sudanês saúda projeto de Constituição transitória

O vice-presidente do Conselho Soberano do Sudão, oficial militar Mohamed Hamdan Dagalo, saudou hoje um projeto de Constituição transitória elaborado pela Ordem dos Advogados e exortou os políticos e a sociedade civil a empenharem-se na resolução da crise.

De acordo com uma declaração emitida pelo Conselho Soberano, Dagalo expressou a sua esperança de que o projeto represente “uma janela de esperança para um acordo abrangente para resolver a crise sudanesa”, que foi desencadeada pelo golpe de Estado militar em outubro.

Apelou a todas as partes para se empenharem “urgentemente num diálogo abrangente conducente a um acordo” após tentativas anteriores, incluindo algumas patrocinadas pela ONU, terem falhado devido à recusa dos grupos civis em envolver o exército “golpista” nas negociações.

Dagalo fez os comentários após as embaixadas de Espanha, Alemanha, Itália, Holanda, Noruega, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos saudaram domingo a publicação do projeto de Constituição transitória, apresentado no sábado pelo comité de direção da Ordem dos Advogados.

O comité redigiu o texto por sua própria iniciativa, face ao impasse das negociações, e realizou sessões consultivas em agosto, envolvendo peritos e políticos sudaneses.

O texto descreve o Sudão como “um Estado de direito” e inclui um documento sobre direitos e liberdades fundamentais, um roteiro para o período de transição, a estrutura do sistema federal e do governo, e a composição das autoridades, entre outros aspetos.

Desde o golpe militar de 25 de outubro, o Sudão tem sido palco de violentos protestos exigindo o regresso do governo civil e da democracia.

A repressão destas manifestações por parte das forças de segurança sudanesas deixou mais de uma centena de mortos e milhares de feridos.

SMM // RBF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS