La Russa eleito presidente de Senado italiano sem votos do Forza Italia

O antigo ministro da Defesa e cofundador do partido de extrema-direita Irmãos de Itália (FdI), Ignazio La Russa, foi hoje eleito Presidente do Senado italiano, mas sem os votos dos aliados do partido de direita Forza Italia (FI), de Silvio Berlusconi.

La Russa eleito presidente de Senado italiano sem votos do Forza Italia

La Russa eleito presidente de Senado italiano sem votos do Forza Italia

O antigo ministro da Defesa e cofundador do partido de extrema-direita Irmãos de Itália (FdI), Ignazio La Russa, foi hoje eleito Presidente do Senado italiano, mas sem os votos dos aliados do partido de direita Forza Italia (FI), de Silvio Berlusconi.

A líder do FdI e provável futura primeira-ministra Giorgia Meloni, cujo partido Irmãos de Itália foi o motor da vitória da coligação de direita nas eleições gerais do mês passado, felicitou La Russa, descrevendo-o como “um patriota, um servidor do Estado, um homem apaixonado pela Itália”, que pôs “sempre o interesse nacional acima de tudo” e um “amigo, irmão e um exemplo” para gerações de pessoas do partido.

La Russa, que obteve 116 votos, acima dos 104 necessários numa votação com 65 votos em branco, apontou que a sua eleição foi possível na primeira volta com votos de fora da coligação, compensando a falta de apoio da FI, e agradeceu às pessoas que o apoiaram mesmo não integrando a aliança de centro-direita.

“Agradeço a todos aqueles que, por sentido de responsabilidade, numa altura em que a Itália exige respostas imediatas, tornaram possível eleger o segundo mais alto funcionário do Estado na primeira volta do escrutínio”, disse La Russa.

Ignazio La Russa esteve na fundação do FdI, com Guido Crosetto e Georgia Meloni, após a queda do Governo Berlusconi em 2011.

Segundo disse recentemente à Lusa Pietro Salvatori, jornalista político do site Huffington Post Itália, Meloni tem uma dívida de gratidão para com ambos, porque sempre estiveram do seu lado e nunca questionaram a sua liderança.

“Eles são de uma geração anterior à dela e também têm experiências diferentes. Crosetto é um liberal que vem do mundo do empreendedorismo. La Russa também vem da militância política, mas da dos anos 70”, disse Salvatori.

Berlusconi, que participou pessoalmente na votação, ao contrário de todos os outros senadores da FI, à exceção de um, disse que a posição do seu partido era motivada pelo “mal-estar” em relação às negociações sobre a nova equipa governamental, dizendo esperar que os “vetos” que tinham sido impostos pudessem ser ultrapassados.

Nos últimos dias têm-se acumulado relatos de tensão entre Meloni e Berlusconi sobre a composição da nova equipa governamental.

Um ponto de discórdia relatado foi a exigência de Berlusconi de um cargo governamental para Licia Ronzulli, uma assistente próxima do ex-primeiro-ministro e magnata dos media.

Berlusconi disse aos repórteres que o seu pedido tinha sido recusado, dizendo que “Ronzulli não vai conseguir nenhum ministério, e isso não é bom porque não deveria haver vetos”.

Enquanto o Governo de Meloni é formado, têm-se sucedido também casos embaraçosos para o FdI, ligados às simpatias neofascistas de alguns membros.

Romano La Russa, irmão do novo presidente do Senado, participou recentemente no funeral de um elemento da extrema-direita milanesa fazendo a ‘saudação romana’ (fascista) diante do caixão, juntamente com outros presentes.

PRZ/PDF (AYP) // PDF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS