Justiça de Cabo Verde ainda não apurou todos os factos sobre morte de autarca — PGR

O procurador-geral da República (PGR) cabo-verdiano disse hoje que o Ministério Público ainda não apurou todos os factos sobre a morte do autarca de Santa Catarina de Santiago, José Alves Fernandes, ocorrido em dezembro do ano passado.

Justiça de Cabo Verde ainda não apurou todos os factos sobre morte de autarca -- PGR

Justiça de Cabo Verde ainda não apurou todos os factos sobre morte de autarca — PGR

O procurador-geral da República (PGR) cabo-verdiano disse hoje que o Ministério Público ainda não apurou todos os factos sobre a morte do autarca de Santa Catarina de Santiago, José Alves Fernandes, ocorrido em dezembro do ano passado.

*** Serviço áudio disponível em www.lusa.pt ***

 

“O Ministério Público não trabalha sob pressão. Qualquer tipo de crime é investigado e se as coisas ainda não tiveram uma conclusão é porque ainda não foi possível apurar todos os factos. O Ministério Público vai investigar serenamente”, disse à Lusa José Landim, na cidade da Praia.

O esclarecimento do procurador-geral da República surge na sequência de um pronunciamento na sexta-feira da atual presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina de Santiago, Jassira Monteiro, que pediu respostas sobre as circunstâncias da morte do autarca.

Numa nota de imprensa, a autarquia avançou que a estranheza da presidente por falta de conclusões definitivas quase um ano depois foi manifestada durante um encontro com a ministra da Justiça, Joana Rosa.

Questionada hoje pela Lusa sobre o caso, a ministra disse que o tempo decorrido até agora não fragiliza a Justiça cabo-verdiana, explicando que não se consegue chegar a uma conclusão de forma rápida em relação a processos que exigem alguma perícia.

“O país deve é aguardar, o Ministério Público deve é munir-se de todos os elementos que tem e fazer uma comunicação à sociedade para que haja uma clarificação desta situação, para que não haja algum mal-estar em termos daquilo que é e que terá sido a verdadeira causa da morte”, salientou Joana Rosa.

Mais conhecido por Beto Alves, o político faleceu em 24 de dezembro no Hospital Agostinho Neto, na Praia, para onde foi transferido cerca de 48 horas antes, após ser encontrado baleado na varanda da sua casa, na cidade da Assomada, o segundo maior centro da ilha de Santiago.

A Polícia Judiciária (PJ) de Cabo Verde informou na altura que tudo apontava “tratar-se de uma tentativa de suicídio”, mas adiantou que as investigações prosseguiam “para cabal esclarecimento do caso”.

José Alves Fernandes, de 44 anos, foi reeleito para um segundo mandato em Santa Catarina, com o apoio do Movimento para a Democracia (MpD, partido no poder governamental), nas eleições autárquicas de 25 de outubro de 2020.

Licenciado em Ciência Política, vertente Estado e Administração Pública, pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa, Portugal, tinha uma pós-graduação em Direito das Autarquias Locais, tendo também exercido a docência e antes de ser presidente foi vereador da mesma autarquia.

RIPE // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS