Juiz federal dos EUA bloqueia suspensão de programa de proteção de imigrantes

Juiz federal dos EUA bloqueia suspensão de programa de proteção de imigrantes

Um juiz federal norte-americano bloqueou a suspensão do Estatuto Temporário de Proteção (TPS), decretada pela administração dos EUA, que iria afetar centenas de milhares de imigrantes de El Salvador, Honduras, Haiti, Nicarágua e Sudão.

A decisão entrou em vigor “de forma imediata”, de acordo com o magistrado, Edward Chen, do tribunal de São Francisco. O magistrado considerou que se a suspensão do TPS entrasse em vigor ira fazer “danos irreparáveis” aos imigrantes e às suas famílias, que teriam de deixar os EUA.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que os beneficiários do TPS dos países visados teriam que partir dos EUA ou procurar uma alternativa para ficarem legais no país.

A suspensão para a Nicarágua estava agendada para janeiro de 2019, para o Haiti em julho 2019, El Salvador em setembro e Honduras em janeiro de 2020. Para os imigrantes do Sudão o ETP terminaria no próximo mês.

Em agosto, vários diplomatas dos Estados Unidos em países latino-americanos já tinham considerado que a retirada deste estatuto pode levar a deportações em massa e consequentemente desestabilizar a região da América Latina e desencadear uma nova onda de imigração ilegal.

Os diplomatas alertaram para que o cancelamento do TPS afeta os interesses da política externa norte-americana, colocando em risco a segurança das pessoas que detinham este estatuto.

O TPS é um programa de imigração criado em 1990, ao abrigo do qual os Estados Unidos concedem autorizações de residência de forma extraordinária a pessoas de países afetados por conflitos ou desastres naturais.

MIM // MSF

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Juiz federal dos EUA bloqueia suspensão de programa de proteção de imigrantes

Um juiz federal norte-americano bloqueou a suspensão do Estatuto Temporário de Proteção (TPS), decretada pela administração dos EUA, que iria afetar centenas de milhares de imigrantes de El Salvador, Honduras, Haiti, Nicarágua e Sudão.