Investimento contratualizado atinge 1,17 mil milhões com 7.245 novos empregos em 2019 — AICEP

A AICEP indicou hoje que o investimento contratualizado atingiu um novo máximo em 2019, com 1,17 mil milhões de euros, permitindo a criação de mais 7.245 empregos.

Investimento contratualizado atinge 1,17 mil milhões com 7.245 novos empregos em 2019 -- AICEP

Investimento contratualizado atinge 1,17 mil milhões com 7.245 novos empregos em 2019 — AICEP

A AICEP indicou hoje que o investimento contratualizado atingiu um novo máximo em 2019, com 1,17 mil milhões de euros, permitindo a criação de mais 7.245 empregos.

Lisboa, 17 jan 2020 (Lusa) – A AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) indicou hoje que o investimento contratualizado atingiu um novo máximo em 2019, com 1,17 mil milhões de euros, permitindo a criação de mais 7.245 empregos.

Estes dados foram divulgados na cerimónia de assinatura de 14 novos contratos de investimento em Portugal, que contou com a presença do primeiro-ministro, António Costa, e que decorreu no Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Segundo os indicadores divulgados pela AICEP, o investimento quase duplicou face à média do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional) no período entre 2008 e 2014, chegando em 2018 aos 1,1159 milhões de euros e aos 1,172 milhões de euros no ano passado.

O investimento direto estrangeiro, segundo a mesma estimativa, terá crescido quase 30% de 2018 para 2019, passando de 688 para 883 milhões de euros no ano passado.

Antes da intervenção de António Costa, o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, advertiu que o ano passado foi “difícil em matéria de geopolítica externa, gerando um clima de incerteza” em matéria de investimento internacional.

“Apesar da instabilidade que se verificou em muitos pontos do mundo, não houve retração nas decisões de investimento por parte dos empresários em Portugal. Portanto, estamos perante muito bons resultados”, sustentou.

Pedro Siza Vieira salientou depois que muitos dos projetos “foram viabilizados com o apoio do Estado” e que a concretização dos objetivos requereu dos funcionários “muito trabalho”.

“No final do ano, atingimos as metas definidas para pagamentos às empresas no âmbito de todos os fundos. Com um esforço muito grande, foi possível assegurar o cumprimento da meta”, reforçou o membro do Governo.

Na primeira intervenção da sessão, o secretário de Estado para a Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, disse que os resultados referentes à contratualização de investimento estrangeiro atingiram dois novos máximos: quer em valor absoluto de angariação de investimento, quer com mais de 7200 postos de trabalho e manutenção de mais 20 mil.

Eurico Brilhante Dias destacou depois a diversidade setorial dos investimentos estrangeiros atraídos por Portugal, o que protege melhor o país das variações verificadas nos mercados internacionais.

“Foram contratualizados em 13 setores diferentes, desde o turismo (com investimentos espalhados pelo território), a indústria automóvel, o agroalimentar, o aeronáutico e área farmacêutica. Mas as origens do capital também tiveram proveniências diferentes, porque, além de países da União Europeia (sobretudo Alemanha, França e Espanha), temos investimentos relevantes de países como os Emirados Árabes, o Qatar, o Japão ou os Estados Unidos”, citou.

Já o presidente da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), Luís Castro Henriques, frisou que o país recebeu investimentos na ordem dos 177 milhões de euros em projetos de inovação e tecnologia (IDT).

“Este investimento em IDT cresceu mais de cinco vezes – projetos com uma importância muito especial, já que Portugal demonstra ser um país competitivo neste domínio”, defendeu.

Luís Castro Henriques referiu-se ainda indicador do investimento direto estrangeiro, que registou um crescimento na ordem dos 30% de 2018 para 2019.

“Os investidores estrangeiros acreditam no país e no talento das nossas pessoas. Portugal é um país atrativo, apesar de 2019 ter sido um ano com muita poeira no ar”, afirmou, aqui numa alusão à conjuntura externa.

PMF // JPS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS