Incêndio em Odemira em “grande parte dominado” e a evoluir “favoravelmente”

O incêndio que lavra em Odemira (Beja) há quase 11 horas já tem “grande parte dominada” e o combate “está a evoluir favoravelmente”, disse à agência Lusa fonte da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

Incêndio em Odemira em

Incêndio em Odemira em “grande parte dominado” e a evoluir “favoravelmente”

O incêndio que lavra em Odemira (Beja) há quase 11 horas já tem “grande parte dominada” e o combate “está a evoluir favoravelmente”, disse à agência Lusa fonte da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

“Está a melhorar, uma grande parte do incêndio já está dominada e [o combate] está a evoluir favoravelmente”, afirmou fonte do comando nacional de operações de socorro da ANEPC, às 22:50.

A essa hora, encontravam-se no teatro de operações 259 operacionais, apoiados por 92 veículos, acrescentou.

“O combate ao incêndio está a decorrer favoravelmente”, referiu a mesma fonte.

Também contactada pela Lusa, fonte do Comando Territorial de Beja da GNR fez um balanço do total de pessoas retirado pelos militares, por precaução das suas causas, devido ao fogo que deflagrou, ao início da tarde, na zona de Medronheira, na freguesia de São Teotónio, no concelho de Odemira.

“Foi evacuado um total de oito residências”, sendo retiradas “16 pessoas”, das quais “10 moradores e seis turistas”, disse a fonte da GNR.

Em relação aos 15 turistas que saíram, por decisão própria, de um turismo rural da zona, a que o presidente da Câmara de Odemira, Hélder Guerreiro, já aludiu à Lusa anteriormente, a mesma fonte da força de segurança disse não ter conhecimento da situação.

“Em relação a esses 15 turistas, não tivemos intervenção, porque saíram de livre vontade, por isso, não sabemos”, acrescentou.

A fonte da GNR indicou ainda à Lusa, tal como o autarca de Odemira já tinha feito, que as 16 pessoas retiradas preventivamente das habitações pelos militares “foram para casas de familiares” ou, no caso dos turistas, “regressaram a casa”.

“No pavilhão” da Escola EB 2,3 de São Teotónio, preparado para acolher deslocados, “não está ninguém”, disse.

O alerta para o incêndio, que deflagrou na zona de Medronheira, na freguesia de São Teotónio, Odemira, foi dado às 12:05.

Segundo as várias autoridades contactadas pela Lusa, não há indicação de casas ardidas, nem de qualquer ferido.

RRL // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS