Impeachment de Trump aprovado. O que se sucede

O Congresso dos Estados Unidos aprovou uma das acusações para a destituição do Presidente, Donald Trump, um processo que será agora julgado no Senado.

Impeachment de Trump aprovado. O que se sucede

Impeachment de Trump aprovado. O que se sucede

O Congresso dos Estados Unidos aprovou uma das acusações para a destituição do Presidente, Donald Trump, um processo que será agora julgado no Senado.

Até às 01h40 de Lisboa – 20h40 em Washington-, a maioria democrata aprovou a acusação de abuso de poder, seguindo-se agora uma votação sobre a acusação de obstrução ao Congresso, que também deverá ser aprovada.

LEIA DEPOIS
Fisioterapeuta recorda ataque a Alcochete: «O Bas Dost vinha com a cabeça em sangue»

Na sessão, a líder democrata da Câmara de Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, disse que Donald Trump é uma «ameaça constante» à «segurança nacional» dos EUA, durante o debate para votação dos artigos de destituição do Presidente. «Os atos irresponsáveis do Presidente tornaram necessário o seu impeachment. Ele não nos deixou outra escolha», afirmou Nancy Pelosi, referindo-se à decisão dos democratas de levarem artigos de destituição para aprovação no plenário da Câmara de Representantes.

À mesma hora que os congressistas votavam, Trump realizava um comício em Battle Creek, Michigan e comentou o caso: «Não sinto verdadeiramente que esteja a ser destituído». Antes, escreveu no Twitter: «Querem acreditar que eu vou ser hoje destituído pela esquerda radical, pelos democratas que nada fazem, quando eu não fiz nada errado.»

Julgamento será conduzido por John Roberts

Mas os democratas insistem nas provas angariadas nas audições do Comité de Informações, primeiro, e Comité Judiciário, depois, para legitimar a decisão de considerar que a atividade do Presidente no caso ucraniano é passível de destituição. «É trágico que as ações imprudentes do Presidente tornem o ‘impeachment’ necessário», disse Pelosi, acrescentando que Trump violou a Constituição e merece ser destituído.

Donald Trump torna-se assim no terceiro Presidente norte-americano a passar a fase seguinte do processo para ser destituído, depois de Andrew Johnson (1868) e de Bill Clinton (1998). Agora, o processo passará para o Senado, que se constituirá com um tribunal para o julgamento político de Donald Trump, de acordo com a Constituição.

O julgamento será conduzido pelo juiz John Roberts, mas serão os senadores quem servirá de juízes, perante os advogados nomeados pelo Presidente. Se houver uma maioria de 2/3 de votos favoráveis no Senado, Donald Trump será o primeiro Presidente dos EUA a ser demitido.

Qual a probabilidade de Trump ser destituído?

A probabilidade de Donald Trump ser destituído do cargo de Presidente dos Estados Unidos da América é baixa, uma vez que que os republicanos constituem uma maioria no senado e mostraram-se unidos, não tendo existido um único voto a favor do impeachment da parte dos republicanos.

Para existir uma destituição, seria necessário que 53 membros do partido republicano teriam de se juntar aos votos do partido democrático, para atingir a maioria de 2/3 de votos favoráveis, que a demissão exige. O Washington Post avança que 14 membros do partido Republicano, demonstraram alguma preocupação com o comportamento do presidente. No entanto, existem apenas três senadores republicanos que falam constantemente contra Trump: Susan Collins, Lisa Murkowski e Mitt Romney.

Texto: Sílvia Abreu

LEIA MAIS
Previsão do tempo para esta sexta-feira, 20 de dezembro

Impala Instagram


RELACIONADOS