IL no parlamento açoriano ameaça votar contra orçamento e rasgar acordo com PSD

O deputado da IL no parlamento dos Açores ameaçou hoje não aprovar o orçamento da região para 2022 e rasgar o acordo de incidência parlamentar assinado com o PSD, essencial para garantir maioria absoluta ao Governo (PSD/CDS-PP/PPM).

IL no parlamento açoriano ameaça votar contra orçamento e rasgar acordo com PSD

IL no parlamento açoriano ameaça votar contra orçamento e rasgar acordo com PSD

O deputado da IL no parlamento dos Açores ameaçou hoje não aprovar o orçamento da região para 2022 e rasgar o acordo de incidência parlamentar assinado com o PSD, essencial para garantir maioria absoluta ao Governo (PSD/CDS-PP/PPM).

Em declarações à agência Lusa e à Antena 1, o representante da Iniciativa Liberal (IL) na Assembleia Legislativa Regional dos Açores, Nuno Barata, antecipou a intenção de “não aprovar o orçamento” se este “mantiver um endividamento de 295 milhões de euros, o que hipoteca as gerações futuras para injetar na [companhia aérea] SATA mais 133 milhões de euros em aumento de capital, sem que a empresa demonstre que vai reduzir o passivo”.

Criticando pressões do atual executivo de coligação PSD/CDS-PP/PPM sobre funcionários públicos, diligências dos partidos que suportam o Governo para “impedir”, esta manhã, a sua “intervenção política” sobre a polémica das Agendas Mobilizadoras, Nuno Barata disse que rasga o acordo com os social-democratas se continuarem os “atropelos à democracia”.

“Não podemos continuar a aguentar uma maioria do Governo que não nos dê garantias de resolver os problemas dos açorianos”, observou, acusando o executivo de “caça às bruxas”.

Para o deputado, a decisão final sobre a rutura que dá suporte ao executivo dependente do que estiver contemplado no orçamento regional para 2022 e de uma reunião já pedida com o presidente do Governo, o social-democrata José Manuel Bolieiro, “presidente do partido com o qual a IL assinou o acordo”.

A Assembleia Legislativa dos Açores é composta por 57 deputados, sendo que, na atual legislatura, 25 são do PS, 21 do PSD, três do CDS-PP, dois do PPM, dois do BE, um do Chega, um eleito pelo Chega que, em julho, passou a independente, um da IL e um do PAN.

PSD, CDS-PP e PPM, que juntos representam 26 deputados, assinaram um acordo de governação. A coligação assinou ainda um acordo de incidência parlamentar com o Chega e o PSD um acordo de incidência parlamentar com a IL.

Com o deputado do Chega, o Governo tem o apoio de 27 deputados, passando a 28 se contar com o apoio do deputado independente.

Só com o apoio da IL o atual executivo consegue maioria absoluta (29 deputados) no parlamento regional — a mesma que levou o representante da República a indigitar o atual Governo Regional.

ACG // MLS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS