Guiné-Bissau/Eleições: Presidente eleito será sempre um amigo de Portugal – MNE

O ministro dos Negócios Estrangeiros português expressou hoje o desejo de que a campanha eleitoral para a segunda volta das presidenciais na Guiné-Bissau continue com elevação, garantindo que o Presidente eleito será sempre um amigo de Portugal.

Guiné-Bissau/Eleições: Presidente eleito será sempre um amigo de Portugal - MNE

Guiné-Bissau/Eleições: Presidente eleito será sempre um amigo de Portugal – MNE

O ministro dos Negócios Estrangeiros português expressou hoje o desejo de que a campanha eleitoral para a segunda volta das presidenciais na Guiné-Bissau continue com elevação, garantindo que o Presidente eleito será sempre um amigo de Portugal.

“Resta a Portugal desejar que a campanha eleitoral se continue a fazer com a elevação com que se fez a campanha para a primeira volta”, disse Augusto Santos Silva.

O chefe da diplomacia portuguesa falava hoje, em Lisboa, durante uma conferência de imprensa conjunta com homóloga de São Tomé e Príncipe, Elsa Pinto.

Santos Silva disse ainda que Portugal saudará “imediatamente” o candidato que sair vencedor da segunda volta, que está agendada para 29 de dezembro.

“A quem pertence escolher o seu Presidente é ao povo da Guiné-Bissau e, qualquer que seja a escolha, o Presidente da Guiné-Bissau será sempre um amigo e pode contar com todo o apoio e cooperação de Portugal, numa relação soberana Estado a Estado”, reforçou.

O ministro voltou a saudar a forma como decorreu a primeira volta das presidenciais, cuja votação decorreu no domingo, sublinhando que se tratou de uma eleição “muito participada” e com uma “votação expressiva”.

“A taxa de abstenção é na ordem dos vinte e poucos por cento e basta pensar nas taxas de abstenção em Portugal para constatar que tenho razão em saudar mais uma vez a participação expressiva”, adiantou.

Os candidatos Domingos Simões Pereira (PAIGC) e Umaro Sissoco Embaló (Madem – G15) vão disputar a segunda volta das eleições presidenciais da Guiné-Bissau, anunciou hoje a Comissão Nacional de Eleições

Domingos Simões Pereira, apoiado pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) foi o candidato que obteve maior percentagem de votos, 40,13%, não conseguindo mais de metade para vencer à primeira volta.

Umaro Sissoco Embaló, apoiado pelo Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15), foi o segundo mais votado e obteve 27,65% dos votos.

A taxa de abstenção é das mais elevadas de sempre no país, situando-se nos 25,63%.

O Presidente cessante, José Mário Vaz, falhou a reeleição, sendo o quarto mais votado, com 12,41% dos votos.

Segundo o cronograma eleitoral para as eleições presidenciais da Comissão Nacional de Eleições, a segunda volta vai realizar-se em 29 de dezembro.

Mais de 760.000 guineenses foram chamados às urnas no domingo para escolher entre 12 candidatos o próximo Presidente da Guiné-Bissau.

CFF (MSE) // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS