Guiné-Bissau tem problemas profundamente enraizados de fraca governação e corrupção – FMI

O Fundo Monetário Internacional considerou hoje que a Guiné-Bissau tem problemas “profundamente enraizados” de fraca governação e corrupção e que é preciso desenvolver uma estratégia nacional anticorrupção e de combate à lavagem de dinheiro.

Guiné-Bissau tem problemas profundamente enraizados de fraca governação e corrupção - FMI

Guiné-Bissau tem problemas profundamente enraizados de fraca governação e corrupção – FMI

O Fundo Monetário Internacional considerou hoje que a Guiné-Bissau tem problemas “profundamente enraizados” de fraca governação e corrupção e que é preciso desenvolver uma estratégia nacional anticorrupção e de combate à lavagem de dinheiro.

“A Guiné-Bissau enfrenta problemas profundamente enraizados de fraca governação e corrupção, que precisam de ser tratados para permitir que realize o seu potencial económico e melhore os padrões de vida da população”, refere, num comunicado enviado à imprensa, Concha Verdugo-Yepes, que liderou uma equipa do FMI que esteve em Bissau desde 18 de setembro até hoje para fazer uma avaliação às vulnerabilidades da governação no país.

Durante a sua estada em Bissau, a equipa do FMI reuniu-se com as autoridades políticas, representantes da comunidade internacional, sociedade civil e setor privado para fazer um diagnóstico preliminar às fraquezas de fiscalidade, regulação de mercado e combate à corrupção e branqueamento de capitais.

“Um primeiro passo para aquele objetivo é desenvolver uma estratégia nacional abrangente de combate à corrupção, focadas nos sistemas tributários, administração de receitas, Estado de Direito e no combate à corrupção e lavagem de dinheiro”, salientou a responsável do FMI.

A missão do FMI teve como principais objetivos avaliar a natureza e a gravidade das vulnerabilidades de governação na Guiné-Bissau, na perspetiva da governação fiscal e da legislação, incluindo anticorrupção, lei de branqueamento de capitais e Estado de Direito.

No âmbito da missão, o FMI fará recomendações para melhorar a governação fiscal e a legislação e para ser definida uma estratégia a médio prazo para ser concedido um “potencial programa financiado” pela organização financeira.

A missão dará uma especial ênfase ao combate à corrupção, nomeadamente através da identificação das principais ameaças e debilidades, tipos de corrupção e prioridades no seu combate.

MSE // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS