Grupo de ONG da Guiné-Bissau exige demissão do ministro do Interior

O Espaço de Concertação das Organizações da Sociedade Civil para a Paz e Desenvolvimento da Guiné-Bissau exigiram hoje a demissão do ministro do Interior, Botche Candé, pela “incapacidade de controlar a atuação das forças de segurança”.

Grupo de ONG da Guiné-Bissau exige demissão do ministro do Interior

Grupo de ONG da Guiné-Bissau exige demissão do ministro do Interior

O Espaço de Concertação das Organizações da Sociedade Civil para a Paz e Desenvolvimento da Guiné-Bissau exigiram hoje a demissão do ministro do Interior, Botche Candé, pela “incapacidade de controlar a atuação das forças de segurança”.

As organizações da sociedade civil voltam a “exigir a demissão imediata do ministro do Interior pela sua manifesta incapacidade de controlar a atuação das forças de segurança, as quais se transformaram numa ameaça à paz, à ordem pública e aos direitos e liberdades fundamentais dos cidadãos”.

No comunicado, o Espaço de Concertação, que representa 23 organizações a sociedade civil da Guiné-Bissau, condena a atuação das forças de segurança em Bafatá, leste da Guiné-Bissau, onde jovens foram “torturados e humilhados” pela polícia por tentarem realizar um protesto contra a falta de eletricidade na cidade.

Os três elementos das forças de segurança acabaram por ser expulsos da polícia por decisão do ministro do Interior.

“Reconhece-se que esta decisão, a ser executada, vai implicar o afastamento imediato e constituir menos perigos para a população”, pode ler-se no comunicado.

Mas, as organizações da sociedade civil, considera a ação “precipitada e parcial porque não foram tomadas nenhumas medidas contra o comissário da polícia local enquanto responsável máximo e mandante da violência gratuita cometida contra cidadãos.

Por isso, exigem também à sua demissão e apresentação à justiça, “enquanto principal responsável pelas arbitrariedades cometidas”.

As organizações da sociedade civil alertam também o Governo para as “consequências da sua inação perante sistemáticos atos de atropelo dos princípios estruturantes do Estado de Direito”.

MSE // PJA

Lusa/Fim

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS