Greve da Transtejo com adesão de 72% e Soflusa com 19%

A greve parcial dos trabalhadores da Transtejo registou hoje de manhã uma adesão de 72% e a paralisação da Soflusa 19%, segundo os dados divulgados pela empresa que gere as ligações fluviais entre a margem sul e Lisboa.

Greve da Transtejo com adesão de 72% e Soflusa com 19%

Greve da Transtejo com adesão de 72% e Soflusa com 19%

A greve parcial dos trabalhadores da Transtejo registou hoje de manhã uma adesão de 72% e a paralisação da Soflusa 19%, segundo os dados divulgados pela empresa que gere as ligações fluviais entre a margem sul e Lisboa.

Os trabalhadores da Transtejo iniciaram na segunda-feira um ciclo de greves parciais, de três horas por turno de serviço, que termina hoje, enquanto os trabalhadores da Soflusa iniciaram na terça-feira um ciclo de quatro dias de greve, com paralisação durante todo o período de trabalho, realizada por categorias específicas, consoante os dias.

Ambas têm a mesma administração e asseguram as ligações fluviais entre a margem sul e Lisboa.

Em comunicado enviado à agência Lusa, fonte da administração adiantou que, durante o período da manhã, a adesão dos trabalhadores da Transtejo foi de 72%.

“À exceção da ligação fluvial da Trafaria, que se prevê iniciar às 15:12, as restantes ligações fluviais já se encontram retomadas”, refere a empresa.

A ligação Montijo — Cais do Sodré e a de Cacilhas — Cais do Sodré anteciparam as primeiras carreiras para as 09:30 e as 10:15, respetivamente, e Seixal — Cais do Sodré iniciou operação no horário previsto.

De acordo com a empresa, na manhã de hoje a adesão à greve por parte dos trabalhadores da Soflusa foi de 19%, mantendo-se suspensa a ligação fluvial.

A agência Lusa tentou, sem sucesso, obter dados da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) sobre a greve.

De acordo com a Fectrans, os trabalhadores exigem o aumento dos salários e medidas que combatam a degradação do serviço público, devido à falta de trabalhadores e ao envelhecimento da frota.

Atualmente, adianta a estrutura sindical, a Transtejo já tem navios novos (do concurso de navios elétricos), mas por falta de baterias os mesmos estão imobilizados.

Por outro lado, por falta de trabalhadores “há recurso a imensas horas extraordinárias, havendo trabalhadores com horários de 16 horas por dia”.

Desde o início do ano, mais de mil circulações não foram efetuadas.

A Transtejo é responsável pela ligação do Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão, no distrito de Setúbal, a Lisboa, enquanto a Soflusa faz a travessia entre o Barreiro, também no distrito de Setúbal, e o Terreiro do Paço, em Lisboa.

DD (FAC/RCP/GC) // MCL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS