Governo mantém efetivo máximo de 32 mil militares para Forças Armadas em 2021

O Governo aprovou hoje o decreto-lei que fixa os efetivos das Forças Armadas para 2021, mantendo “a referência já estabelecida” de um máximo de 32 mil militares.

Governo mantém efetivo máximo de 32 mil militares para Forças Armadas em 2021

Governo mantém efetivo máximo de 32 mil militares para Forças Armadas em 2021

O Governo aprovou hoje o decreto-lei que fixa os efetivos das Forças Armadas para 2021, mantendo “a referência já estabelecida” de um máximo de 32 mil militares.

Lisboa, 10 dez 2020 (Lusa) — O Governo aprovou hoje o decreto-lei que fixa os efetivos das Forças Armadas para 2021, mantendo “a referência já estabelecida” de um máximo de 32 mil militares, o que garante a resposta “à capacidade operacional exigida”.

Em fevereiro, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, aquando da promulgação do efetivo já para este ano, alertou o Governo para a necessidade de ter “no futuro, maior atenção com os prazos previstos”, uma vez que o decreto-lei para 2020 tinha sido aprovado apenas uns dias antes em Conselho de Ministros, já no decurso do próprio ano a que dizia respeito.

Assim, e antes do ano acabar, o Conselho de Ministros aprovou hoje o decreto-lei que fixa os efetivos das Forças Armadas para 2021, “considerando as necessidades estruturais e as atividades previstas” para esse ano.

“O presente diploma assenta numa gestão criteriosa, mantendo a referência já estabelecida de um efetivo máximo de 32000 militares, e garante uma aproximação às necessidades estruturais e às atividades das Forças Armadas previstas para o ano de 2020, compatibilizando as saídas e as admissões”, refere o comunicado do Conselho de Ministros.

De acordo com o executivo, “garante-se, deste modo, que o efetivo responde à capacidade operacional exigida”.

JF (FM)// SF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS