Governo defende referencial anual e por setor para aumentos salariais no privado

O referencial para os aumentos dos salários no privado que terá em conta a evolução da economia, a produtividade e a inflação, deverá ser fixado anualmente e por setor, segundo um documento do Governo apresentado hoje na Concertação Social.

Governo defende referencial anual e por setor para aumentos salariais no privado

Governo defende referencial anual e por setor para aumentos salariais no privado

O referencial para os aumentos dos salários no privado que terá em conta a evolução da economia, a produtividade e a inflação, deverá ser fixado anualmente e por setor, segundo um documento do Governo apresentado hoje na Concertação Social.

Num documento de trabalho entregue aos parceiros sociais sobre o acordo de médio prazo sobre salários, rendimentos e competitividade, o Governo defende que a valorização dos salários deve seguir uma “metodologia de fixação anual de referência para atualização dos salários, por setor, tendo em conta a evolução esperada e os ganhos de produtividade e inflação”.

Na primeira reunião na Concertação Social sobre o acordo de médio prazo, em 27 de novembro, o Governo tinha apresentado como objetivo aumentos salariais no privado superiores à soma da inflação e da produtividade nos próximos quatro anos, apontando para 2,7% em 2020, 2,9% para 2021 e 2022 e 3,2% para 2023.

A maioria dos parceiros sociais manifestou-se de imediato contra o referencial de aumentos indicado pelo Governo, defendendo que esta é uma matéria da negociação coletiva.

DF // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS