Governo brasileiro oficializa mudanças no comando do Ministério do Turismo

O Governo brasileiro oficializou hoje a demissão de Marcelo Álvaro Antônio do cargo de ministro do Turismo e a nomeação de Gilson Machado para o ocupar o mesmo posto numa publicação do Diário Oficial da União.

Governo brasileiro oficializa mudanças no comando do Ministério do Turismo

Governo brasileiro oficializa mudanças no comando do Ministério do Turismo

O Governo brasileiro oficializou hoje a demissão de Marcelo Álvaro Antônio do cargo de ministro do Turismo e a nomeação de Gilson Machado para o ocupar o mesmo posto numa publicação do Diário Oficial da União.

A demissão havia sido anunciada na véspera pelo Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, em conversa com apoiantes.

O chefe de Estado também confirmou que pretendia nomear Gilson Machado, que ocupava a presidência da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), para o cargo mais alto do Ministério do Turismo.

A troca no Governo surgiu um dia após uma polémica ministerial, em que Marcelo Álvaro Antônio acusou o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, de ser um “traidor” e de pedir a Bolsonaro que o exonerasse da tutela do Turismo.

A acusação foi feita num grupo privado de ministros na plataforma Whatsapp e divulgada pela imprensa local.

“O senhor [ministro Luiz Eduardo Ramos] deveria ter aprendido na sua própria formação militar que não se atira um companheiro de guerra aos inimigos, não se pode disparar na cabeça de um aliado. Ministro Ramos, o senhor é o exemplo de tudo o que não quero me tornar na vida, quero chegar ao fim da minha jornada exatamente como os meus pais me ensinaram, leal aos meus companheiros e não um traíra [expressão brasileira para traidor] como o senhor”, escreveu Álvaro Antônio, citado pelos jornais brasileiros.

Num longo texto partilhado no grupo do Whatsapp, o ex-ministro do Turismo acusou Ramos de pedir a sua exoneração “para tentar resolver as eleições do parlamento”, “para suprir a sua própria deficiência”.

Segundo a imprensa, as declarações de Álvaro Antônio geraram mal-estar no Governo, o que levou Bolsonaro a trocar o comando da pasta.

Foi a primeira troca na tutela do Turismo desde o início do atual executivo, que tomou posse em janeiro de 2019, mas a 15.ª substituição de governantes desde que Bolsonaro chegou ao poder.

Ao longo dos cerca de dois anos que esteve à frente da pasta do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio teve a sua gestão manchada por acusações de fraude eleitoral e apropriação criminosa de fundos de campanha, atos alegadamente cometidos durante o processo eleitoral, em 2018, quando era chefe regional do Partido Social Liberal (PSL) em Minas Gerais.

O governante também enfrentou denúncias por ter promovido “candidatas-fantasma” para completar a quota mínima de 30% de candidaturas de mulheres e assim aumentar os recursos que correspondiam ao PSL (ex-partido de Bolsonaro) do dinheiro público para financiar campanhas políticas no país.

Gilson Machado, que era empresário, músico e veterinário antes de ingressar no Governo brasileiro, ficou conhecido em junho deste ano, após ter tocado publicamente acordeão e cantado a música “Ave Maria”, a pedido de Bolsonaro, em homenagem às vítimas da covid-19 no Brasil numa transmissão ao vivo nas redes sociais.

Antes de ser nomeado ministro do Turismo, Gilson Machado foi, na gestão de Bolsonaro, presidente da Embratur e secretário nacional de Ecoturismo e Cidadania Ambiental, do Ministério do Meio Ambiente.

CYR (MYMM) // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS