Gabinete de crise vai analisar aumento de preços em Cabo Verde e definir medidas – PM

O Governo de Cabo Verde criou um gabinete de crise para analisar o aumento de preços no país e definir medidas para reduzir o impacto da crise nas famílias, anunciou hoje o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

Gabinete de crise vai analisar aumento de preços em Cabo Verde e definir medidas - PM

Gabinete de crise vai analisar aumento de preços em Cabo Verde e definir medidas – PM

O Governo de Cabo Verde criou um gabinete de crise para analisar o aumento de preços no país e definir medidas para reduzir o impacto da crise nas famílias, anunciou hoje o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

De acordo com o chefe do Governo, a decisão foi tomada na quinta-feira, em reunião do Conselho de Ministros descentralizada, na cidade de Assomada, interior da ilha de Santiago, após análise à situação internacional e aos impactos em Cabo Verde.

“Devido às consequências da guerra na Ucrânia, da pandemia da covid-19, mas também da seca que Cabo Verde atravessa”, esclareceu, através de uma mensagem colocada na sua conta oficial na rede social Facebook.

Ulisses Correia e Silva acrescentou que o gabinete de crise “terá a missão de analisar todos os cenários do aumento de preços dos produtos”, bem como “conceber as medidas que deverão ser implementadas no país, para diminuir o impacto desse aumento na vida das famílias”.

“Em breve, devo anunciar as medidas”, afirmou.

Garantiu que o Governo está “atento” ao “aumento exponencial de preços sobre todos os produtos”, mas recorda que o país importa “quase tudo” o que consome, que tem que ser transportado até ao arquipélago.

“Se, por um lado, a pandemia da covid-19 fez com que houvesse um aumento de preço a nível internacional, que só de transporte aumentou-se cerca de quatro vezes mais, agora, por causa da guerra, este mesmo preço aumentou mais três vezes, ou seja, se era dois passou para seis”, explicou.

“O Governo que lidero tudo fará para que não falte produtos no mercado nacional”, afirmou ainda.

Os preços em Cabo Verde aumentaram 0,7% no mês de fevereiro e acumulam uma subida de 7,1% face ao mesmo mês de 2021, indicam dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) cabo-verdiano, divulgados na segunda-feira.

Esses aumentos generalizados em Cabo Verde estão a ser mais visivelmente sentidos nas últimas semanas em produtos alimentares de primeira necessidade, como o pão ou o óleo.

De acordo com o Índice de Preços no Consumidor (IPC), a taxa de variação homóloga no mês de fevereiro de 2022, foi de 7,1%, “acelerando 0,5 pontos percentuais em relação ao mês anterior”.

No mesmo período, o IPC registou ainda uma variação média dos últimos 12 meses de 3,1%, valor superior em 0,6 pontos percentuais ao registado em janeiro.

Cabo Verde fechou 2021 com uma inflação média anual de 1,9%, o valor mais alto desde 2013, influenciado pelo aumento do preço dos combustíveis no mercado internacional, segundo o Governo cabo-verdiano.

O preço médio dos combustíveis aumentou mais de 4% este mês em Cabo Verde, conforme novos valores máximos definidos pela agência reguladora do setor, e acumularam uma subida de quase 46% em todo o ano de 2021.

Já as tarifas da eletricidade, igualmente condicionadas pelos preços dos combustíveis — Cabo Verde depende da produção de eletricidade em centrais a gasóleo -, aumentaram em média 30% em outubro passado.

O Governo cabo-verdiano estimou para 2021 uma inflação de 1,2%, mas que terá ficado substancialmente acima, face aos indicadores do INE.

Cabo Verde registou uma variação acumulada anual nos preços de 0,6% em 2020, sucedendo a uma taxa de 1,9% no conjunto do ano de 2019, segundo dados anteriores do INE.

PVJ // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS