Frelimo considera ” momento importante” para paz encontro entre PR moçambicano e líder da oposição

A Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique, no poder) disse hoje que o encontro entre o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, e o presidente da Renamo (oposição), Ossufo Momade, realizado no domingo, é um “momento importante” para um acordo de paz definitivo.

Frelimo considera

Frelimo considera ” momento importante” para paz encontro entre PR moçambicano e líder da oposição

A Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique, no poder) disse hoje que o encontro entre o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, e o presidente da Renamo (oposição), Ossufo Momade, realizado no domingo, é um “momento importante” para um acordo de paz definitivo.

“Para nós a Frelimo é um momento importante, porque não é tão fácil como se acha negociar um acordo de paz da Renamo”, disse Caifadine Manasse, porta-voz do partido em conferência de imprensa em Maputo.

No domingo, o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, e o líder da oposição, Ossufo Momade, anunciaram que pretendem assinar um acordo definitivo de paz até à primeira semana de agosto.

“O mais tardar no início de agosto a cessação definitiva ou acordo de paz definitivo tem de ser celebrado”, referiu Nyusi, à saída do encontro com o presidente da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) em Chimoio, capital da província de Manica, no interior centro do país.

A Frelimo diz que vai continuar a acarinhar para que Filipe Nyusi, que é igualmente presidente deste partido, leve o processo até ao fim.

No encontro de domingo, Nyusi e Momade discutiram ainda a necessidade de angariar apoios, de um lado e outro, para a organização de uma conferência de doadores para suportar os custos do processo de reintegração dos guerrilheiros da Renamo.

“Este encontro mostra claramente que a Renamo fez uma introspeção e sabe que este passo tem que ser dados”, disse o porta-voz.

O enquadramento de Ossufo Momade no final do processo, depois de assinada a paz, é outro assunto a discutir, disse Nyusi, acrescentando que o líder da Renamo não pode continuar a viver “na Gorongosa, no mato, toda a vida: tem de sair”, numa alusão ao refúgio do líder da oposição, junto dos guerrilheiros.

Junho deverá ser o mês do arranque operacional do processo de desarmamento dos guerrilheiros da Renamo, com “concentração das tropas” e com a devida “documentação”, assinalou, sendo que todas as armas devem ser entregues para se assinar o acordo.

RIZR ( LFO/ EYAC) // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS