França sem planos para retirar tropas do Iraque

França “não tem intenção” de retirar os militares que tem estacionados no Iraque em missões de formação, afirmou fonte governamental citada pela agência France-Presse sob condição de anonimato.

França sem planos para retirar tropas do Iraque

França sem planos para retirar tropas do Iraque

França “não tem intenção” de retirar os militares que tem estacionados no Iraque em missões de formação, afirmou fonte governamental citada pela agência France-Presse sob condição de anonimato.

França, membro da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos que combate o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico, tem cerca de 200 militares destacados no Iraque, 160 dos quais em missões de formação das forças iraquianas, segundo números do Estado-Maior das Forças Armadas citados pela agência.

No conjunto do Médio Oriente, França tem destacados cerca de 1.000 militares ao serviço da operação “Chammal”, o contingente francês integrado na operação internacional contra os ‘jihadistas’.

“Após os acontecimentos em Bagdad, reforçámos, a partir de sexta-feira, o nível de proteção dos militares franceses destacados no país. Tudo foi implementado para garantir a sua segurança”, escreveu por seu lado no Twitter a ministra da Defesa, Florence Parly.

“A prioridade hoje é a mesma de ontem e de amanhã: lutar contra o Daesh [acrónimo árabe do Estado Islâmico]. A redução da tensão no Iraque e na região é indispensável: a coligação internacional deve poder continuar a sua missão”, acrescentou.

A crise entre o Irão e os Estados Unidos agravou-se depois do assassínio, na sexta-feira, do general iraniano Qassem Soleimani, num ataque norte-americano em Bagdad.

Na sequência do incidente, a Alemanha anunciou a retirada temporária dos 35 militares que tem estacionados no Iraque para a Jordânia e o Kuwait e a NATO também manifestou intenção de transferir provisoriamente tropas para países vizinhos.

A Alemanha tem cerca de 120 soldados no Iraque, mas apenas os que estão colocados nas bases de Bagdad (3) e Taji (32), foram deslocados.

A NATO, que tem cerca de 500 militares no país, a maioria do Canadá, Espanha e Turquia, não especificou quantos militares vai transferir.

A Roménia, com 14 tropas no Iraque, a Croácia, também com 14, e a Eslováquia, com sete, anunciaram igualmente a transferência temporária dos seus militares, para outras bases no país ou para países fronteiriços.

MDR // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS