Fragata portuguesa participa em missão de controlo de fronteiras no sul de Itália até setembro

Fragata portuguesa participa em missão de controlo de fronteiras no sul de Itália até setembro

Uma fragata da Marinha portuguesa parte no próximo domingo para o Mediterrânio central para integrar uma missão de “controlo da rota de migração irregular” da Agência Europeia de fronteiras, até setembro.


Lisboa, 13 jul (Lusa) — Uma fragata da Marinha portuguesa parte no próximo domingo para o Mediterrânio central para integrar uma missão de “controlo da rota de migração irregular” da Agência Europeia de fronteiras, até setembro.


A fragata Álvares Cabral, com uma guarnição base de 135 militares, participará na operação “THEMIS”, da Agência Europeia Frontex, durante 72 dias, realizando patrulhas as áreas a sul da Itália, anunciou hoje a Marinha.


A bordo estarão também uma equipa de abordagem de Fuzileiros, uma equipa de mergulhadores, uma equipa médica reforçada, inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e dois oficiais de ligação italianos, representando as autoridades policiais da Itália.


A operação “contempla a segurança da vida humana no mar, a luta contra o tráfico de imigrantes e o tráfico de seres humanos, a segurança das fronteiras externas da União Europeia”, incluindo a “identificação e registo de imigrantes irregulares e os procedimentos de proteção internacional”, refere um comunicado da Marinha.


O controlo da rota “de migração irregular em direção às fronteiras externas da União Europeia”, com “operações de busca e salvamento em massa”, visando evitar “a perda de mais vidas humanas” naquela região e o apoio ao “combate ao tráfico de seres humanos e das redes criminosas transnacionais” são os objetivos da missão.



SF // JPS

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Fragata portuguesa participa em missão de controlo de fronteiras no sul de Itália até setembro

Uma fragata da Marinha portuguesa parte no próximo domingo para o Mediterrânio central para integrar uma missão de “controlo da rota de migração irregular” da Agência Europeia de fronteiras, até setembro.